Publicidade

Estado de Minas PASSEIO SEGURO

Ouro Preto vai fiscalizar jardineiras de olho na segurança dos turistas

Com a retomada do turismo na cidade, decreto municipal regulamenta o serviço e garante vistoria nas jardineiras vintage, que agora circulam com selo da OuroTran


29/09/2021 17:41 - atualizado 29/09/2021 18:02

As jardineiras são procuradas por diversos públicos que querem conhecer a cidade Patrimônio da Humanidade, mas têm dificuldades em subir e descer as ladeiras
As jardineiras são procuradas por diversos públicos que querem conhecer a cidade Patrimônio da Humanidade, mas têm dificuldades em subir e descer as ladeiras (foto: Gabriel Moreira/Divulgação)
 
O passeio nas clássicas jardineiras, veículos de passageiros criados nos anos de 1920, é um dos atrativos para os turistas que desejam conhecer a  cidade museu a céu aberto, Ouro Preto , em um tour de forma mais confortável. Agora, os veículos vão apresentar um selo de segurança.
 
Após a regulamentação do serviço em julho de 2021, a Superintendência de Transporte e Trânsito de Ouro Preto (OuroTran) e a Guarda Municipal de Ouro Preto realizaram a primeira fiscalização do serviço nesta quarta-feira (29/9). O objetivo é preparar a cidade para a retomada do turismo de forma segura e profissional, segundo o secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Ouro Preto, Rodrigo Câmara.
 
 
“O atrativo é interessante para quem visita a cidade e a fiscalização se faz necessária. Essa foi uma das primeiras ações da Secretaria de Turismo, uma ação que envolveu várias secretarias do município que reuniram inúmeros documentos que serviram de base para o decreto municipal”.
 
Câmara afirma que a fiscalização feita nos seis veículos que prestam o serviço na cidade busca verificar as normas dispostas no decreto 6.148/2021, que apresenta os requisitos para a prestação de serviços do transporte para fins de turismo local.
 
“A preocupação é que os serviços do turismo em Ouro Preto alcancem, a cada dia, um nível de profissionalismo digno de uma cidade Patrimônio da Humanidade”.
 
De acordo com o decreto, o transporte turístico só poderá ser realizado por agências de viagens turismo e por transportadoras turísticas registradas no Cadastro dos Prestadores de Serviço Turístico (Cadastur), do Ministério do Turismo. Além disso, todos os veículos deverão ter o selo fornecido após vistoria da OuroTran.
 
Com selo em mão, o empresário do ramo Gabriel Moreira conta que as jardineiras são muito procuradas por diversos públicos, com destaque aos idosos e pessoas com mobilidade reduzida que querem conhecer a cidade, mas têm dificuldades em subir e descer as ladeiras. “Os veículos trazem conforto e agora, com a regulamentação e fiscalização, também vão trazer segurança”.
 
O empresário conta que, além de levar os três veículos para a vistoria, ele também teve que readaptar a rota turística para atender às normas do decreto que proíbe a circulação dos veículos em 22 ruas da cidade. Muitas delas são estreitas e possuem aclives e declives acentuados, como a Rua Randolfo Bretas, conhecida como a Rua da Escadinha, famosa por diversos acidentes.
 
“O nosso roteiro não teve muita alteração. Fizemos rotas alternativas para atender às normas do decreto e a única coisa que não estamos fazendo é atravessar de um lado para o outro da Praça Tiradentes. Aí aumentamos um pouco mais o trajeto para chegar do outro lado”.
 

Viagem ao passado

 
A viagem ao passado já começa quando os passageiros entram nos veículos vintage, que, no caso dos oferecidos por Gabriel Moreira, são datados de 1937. “A jardineira é preservada em seu aspecto original, encantando a todos por sua aparência rústica, além de seu interior todo trabalhado em madeira”.
 
O empresário conta que a ideia original de prestar esse atrativo na cidade veio de um dono de uma pousada que fazia esse passeio com os próprios hóspedes. Moreira viu ali um potencial para ampliar o serviço para os demais turistas que vão a Ouro Preto.
 
“O projeto jardineira iniciou em janeiro de 2018 em um passeio turístico no Centro Histórico de Ouro Preto. Os turistas são levados para conhecer as principais igrejas e aprofundar a história da antiga Vila Rica, com os trabalhos da engenharia africana na extração do ouro”.
 
Segundo o empresário, a partir daí alguns conflitos surgiram na cidade por falta de regulamentação do serviço, e, por meio de uma liminar adquirida na Justiça, ele pôde continuar com o serviço até a regulamentação.
 
Durante esse período, foi criado o Projeto Social Jardineira na Escola, que, segundo o empresário, atende alunos da rede pública e particular da cidade com o turismo pedagógico na cidade.
 
“Muitos alunos não têm acesso à história da própria cidade. Por causa do projeto que saiu uma liminar que permitiu que chegássemos ao ponto que estamos hoje, com a regulamentação do nosso serviço”.
 
O empresário conta que o projeto nas escolas está suspenso por causa das medidas restritivas da pandemia da COVID-19
O empresário conta que o projeto nas escolas está suspenso por causa das medidas restritivas da pandemia da COVID-19 (foto: Gabriel Moreira/Divulgação)
 
Segundo o Secretário de Turismo de Ouro Preto, além das jardineiras, outros serviços de transporte urbano público, como táxis e ônibus, são ofertados na cidade.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade