Publicidade

Estado de Minas

Explore, de corpo e alma, os prazeres etílicos na Serra Gaúcha

De chardonnay a sauvignon blanc, passando por merlot, pinot noir e malbec: variedades de uvas não faltam para quem quer conhecer o Rio Grande do Sul a partir do enoturismo, que não se limita apenas aos vinhos, mas também a outras riquezas culturais do estado


postado em 19/11/2019 04:00 / atualizado em 25/11/2019 11:56

No Vale dos Vinhedos, a Vinícola Miolo, fundada em 1989 pelo patriarca Giuseppe Miolo, oferece aos visitantes passeio pelos jardins inspirados na região da Toscana, na Itália (foto: Miolo/Divulgação)
No Vale dos Vinhedos, a Vinícola Miolo, fundada em 1989 pelo patriarca Giuseppe Miolo, oferece aos visitantes passeio pelos jardins inspirados na região da Toscana, na Itália (foto: Miolo/Divulgação)


Um mergulho nas barricas que faz com que até os menos especialistas sobre o mundo do vinho, como o repórter autor desta reportagem, se apaixonem pela bebida e passe a consumi-la, inclusive, no dia a dia. Desvendar os aromas e prazeres da Serra Gaúcha é conhecer o processo de produção vinícola do início ao fim e, ainda, se deliciar com o que é produzido, porém pouco valorizado, pelos vinhedos brasileiros.
 


Vale dos vinhedos oferece aos visitantes uma imersão de corpo, alma, olfato e paladar, no universo do enoturismo(foto: Miolo/Divulgação)
Vale dos vinhedos oferece aos visitantes uma imersão de corpo, alma, olfato e paladar, no universo do enoturismo (foto: Miolo/Divulgação)
Visitar as vinícolas brasileiras já se tornou obrigação para quem quer conhecer o Rio Grande do Sul. A “cave experience” oferecida pela Luiz Argenta, no município de Flores da Cunha, é um passeio e tanto. A degustação dos rótulos é feita às cegas, o que desafia o turista a desvendar qual tipo de bebida é consumida, tudo a partir do olfato e do paladar. Isso tudo em um ambiente aconchegante, ao lado de inúmeras barricas e uma música que compõe a dinâmica perfeitamente. A dinâmica inclui quatro produtos da marca e pode ser realizada todos os dias da semana, com horários que variam entre 10h e 15h30. Quem quiser completar o tour com alta gastronomia ainda pode almoçar no Clô Restaurante, localizado na mesma cidade.

Outra opção interessante para quem procura uma programação elegante é se deslocar ao wine garden da Vinícola Miolo, em Bento Gonçalves. Para quem gosta de tirar fotos e registrar o momento para a eternidade, os jardins da Miolo é a opção correta. Dá, também, para confraternizar com amigos e familiares no espaço aconchegante. A empresa tem uma rica história e o passeio está disponível todos os dias da semana, inclusive em feriados. O preço cabe dentro do bolso: R$ 35 para adultos e R$ 15 para menores de 18 anos. A marca ainda oferece um curso de degustação, que não está incluído no pacote acima. 

Fontana di Bacco, na Vinícola Aurora, em Bento Gonçalves, surpreende os visitantes com suas águas na cor de vinho(foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Fontana di Bacco, na Vinícola Aurora, em Bento Gonçalves, surpreende os visitantes com suas águas na cor de vinho (foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Uma experiência indispensável para conhecer o enoturismo gaúcho deve ser desfrutada na Vinícola Dal Pizzol, essa situada em Bento Gonçalves. A ida é obrigação para quem gosta de passeios mais familiares. O tratamento dado pelos administradores do espaço chama a atenção pela cordialidade, enquanto o ambiente acolhedor é composto por inúmeras aves. É permitido, inclusive, a entrada de pets. Por lá, a criançada pode se divertir com os monitores da vinícola, ao mesmo tempo que os pais conhecem mais sobre a história do vinho no Ecomuseu, que guarda rótulos antigos dos mais diferentes países, inclusive o primeiro vinho fino brasileiro (safra 1937). A entrada custa R$ 10 a partir dos 12 anos, R$ 5 para crianças entre 6 e 12 e franca para menores de 6.
 

Na Vinícola Dal Pizzol, a proposta é contar a história do vinho para atrair turistas como a enoteca que abriga rótulos de safras antigas(foto: Da Pizzol/Divulgação)
Na Vinícola Dal Pizzol, a proposta é contar a história do vinho para atrair turistas como a enoteca que abriga rótulos de safras antigas (foto: Da Pizzol/Divulgação)


* O repórter viajou a convite da Conceitocom Brasil

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade