Publicidade

Estado de Minas ESPECIAL BELÉM DO PARÁ

Mercado Ver-O-Peso: conheça o lado profano de Belém do Pará

Centro de compras é muito mais que um local turístico. Lá os desejos impuros e os prazeres ocultos podem ser encontrados engarrafados em pequenos frascos


postado em 01/10/2019 04:00 / atualizado em 03/10/2019 14:25



Visitar o Mercado Ver-o-Peso, cartão-postal de Belém do Pará, é desvendar a cultura, as tradições, os cheiros, sabores e o artesanato paraense. A grande feira aberta às marges da Baía do Guajará seria mais um entre tantos outros centros de compras populares espalhados pelo globo se não fossem a peculiar bancas de vidrinhos com óleos, ervas e perfumes. Neles são engarrafados todos os tipos de desejo: óleo pra tirar inveja, arranjar marido ou esposa e conseguir emprego.
 
Mas nenhum tem o poder de atração como o óleo da bota-cor-de-rosa. Dercy Gonçalves, famosa por falar  palavrões, ficaria ruborizada diante das vendedoras do local. São senhorinhas, nada comportadas, com mais de 60 anos, que apresentam o poder afrodisíaco do produto genuinamente paraense.
 
Dona Dora é uma das vendedoras do Ver-o-Peso. Seus produtos afrodisíacos são um sucesso (foto: Carlos Borges/Divulgação)
Dona Dora é uma das vendedoras do Ver-o-Peso. Seus produtos afrodisíacos são um sucesso (foto: Carlos Borges/Divulgação)
 
A naturalidade que a feirante Dora Campos, a simpática Dona Dora, de 68 anos, explica os efeitos do produto nos órgãos genitais masculinos e femininos é impublicável. Fico imaginando os turistas católicos que visitam Belém por conta do Círio de Nazaré e se deparam com essa personagem simpática e muito desbocada. Acho que eles sairiam de lá e tomariam um banho de água benta.
 
Mercado de Ferro, cartão-postal da paisagem de Belém(foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Mercado de Ferro, cartão-postal da paisagem de Belém (foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
 
 
Deixando de lado o profano, o Ver-o-Peso, de 1625, tem muita história, sabores e cheiros para experimentar. Nesse império dos sentidos, os turistas se deparam com o vaivém da Feira do Açaí, quando a produção da fruta feita por ribeirinhos chega, já de madrugada, para abastecer os comerciantes da região. No Mercado de Ferro é onde se encontram as bancas de peixes.  Com influência europeia, ele foi construído em 1899. Da mesma forma que o Mercado da Carne, com a sua imponente torre central, onde o turista fica encantado com a escadaria de ferro. Todo o complexo onde se encontra o Ver-o-Peso é considerado a maior feira livre da América Latina.
 
Mercado da Carne faz parte do conjunto do Ver-O-Peso(foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Mercado da Carne faz parte do conjunto do Ver-O-Peso (foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)

Pôr do Sol

 
Nada se compara ao passeio Orla ao entardercer(foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Nada se compara ao passeio Orla ao entardercer (foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
 
A bordo do barco Tribo dos Kayapós partimos da região da Estação das Docas para experimentar o passeio Orla  ao Entardecer.  Nessa viagem lúdica por Belém do Pará navegamos na rica cultura do estado.  Embalados por dançarinos ao som do carimbó, os turistas se encantam com o pôr do sol na Baía do Guajará.  O último fio de luz do dia cobre de dourado o rio, as matas e as construções ao longo da orla da capital paraense.
 
Ritmo paraense carimbó embala o passeio Orla ao entardecer(foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Ritmo paraense carimbó embala o passeio Orla ao entardecer (foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
 
 
Conhecida como  o Puerto Madero do Norte, a Estação das Docas é um dos destinos mais procurados em Belém do Pará . O local, que foi revitalizado em 2000, tornou-se um importante centro gastronômico no Pará. Os principais atrativos são o Restaurante Lá em Casa, Marujo e Amazon Beer. Não deixe de conhecer a Sorveteria Cairu. Lá, o turista vai experimentar uma explosão de sabores da Amazônia.  Um lugar perfeito para curtir e registrar dezenas de selfies, diante dos clássicos guindastes que se estendem ao longo dos 500 metros do bulevar charmoso.
 
Estação das Docas revitalizou a antiga região portuária e abriga o point gastrô da capital paraense(foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
Estação das Docas revitalizou a antiga região portuária e abriga o point gastrô da capital paraense (foto: Carlos Altman/EM/D.A Press)
 


Publicidade