Publicidade

Estado de Minas FUTEBOL MINEIRO

Marlon diz que pode virar arma ofensiva do América

Após o batismo de fogo no empate com o Atlético, na primeira partida da final, lateral vive a expectativa do duelo no Mineirão


19/05/2021 20:51 - atualizado 19/05/2021 20:57

Se o titular, João Paulo, não se recuperar, Marlon promete um futebol mais solto no segundo confronto com o Galo(foto: MOURÃO PANDA/AMÉRICA)
Se o titular, João Paulo, não se recuperar, Marlon promete um futebol mais solto no segundo confronto com o Galo (foto: MOURÃO PANDA/AMÉRICA)

Escalado de última hora para iniciar sua primeira partida pelo América, justamente na final do Campeonato Mineiro contra o Atlético, o lateral-esquerdo Marlon disse que sua capacidade de apoio ao ataque pode ser uma das alternativas ao time, caso volte a campo no sábado, no duelo que define o campeão, no Mineirão.

A presença dele depende de reavaliação do titular absoluto da posição, João Paulo, que sentiu incômodo na panturrilha direita durante os treinamentos da semana passada e foi vetado para o clássico do último fim de semana. A estreia já havia ocorrido em 2 de maio, quando entrou nos acréscimos da vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, pela ida da semifinal, no Mineirão.

Marlon foi anunciado pelo Coelho em 28 de abril. O jogador, que pertence ao Sampaio Corrêa, assinou contrato de empréstimo até maio de 2022. Para o técnico Lisca, Marlon, diante do Galo ele fez uma “boa partida, seguro e tranquilo”.

“Claro, pode se soltar um pouco mais pela qualidade ofensiva e recurso técnico que ele tem. Mas é normal, ele tem praticamente três semanas, talvez nem isso, junto com o grupo. Não é fácil entrar em uma final assim. Então, a avaliação é bem positiva. Vamos ver se ele pega mais confiança e nós mostramos algumas situações em que podemos usar um pouco mais essa qualidade ofensiva dele”, disse o treinador após o 0 a 0 do domingo, no Independência.

Ao avaliar sua participação, Marlon disse que, com atuações em série, pode ajudar o América ofensivamente. “Busco apoiar bastante, mas como o jogo contra o Atlético foi o meu primeiro (desde o início), fui mais cauteloso, também estava um pouco sem ritmo. Acredito que com uma sequência positiva de jogos eu posso ajudar bem mais na parte ofensiva”, projeta.

O defensor admitiu que houve ansiedade antes do confronto com o Galo. “Foi uma partida muito diferente para mim com relação à preparação. Não esperava iniciar esse jogo, mas, infelizmente, aconteceu a lesão do João (Paulo). Estava bem ansioso e nervoso antes da partida, mas quando a bola rola tudo se tranquiliza e as coisas começam a fluir naturalmente. Fiquei muito feliz pelo desempenho”, disse.

Admirador

O jogador do alviverde, de 27 anos, revelou ser um admirador do trabalho de João Paulo, de 34. Além disso, comparou seu estilo de jogo ao do companheiro de posição.

“O passe e a qualidade técnica se assemelham bastante. O João Paulo é um excelente jogador e eu cresci o vendo jogar”, pontuou.


América e Atlético voltam a se enfrentar no sábado, às 16h30, no Mineirão. Para levantar o caneco, o Coelho precisará vencer, já que o alvinegro, líder na classificação geral, será campeão até mesmo com um empate, após a igualdade no Horto.



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade