Publicidade

Estado de Minas FUTEBOL MINEIRO

América: um olho na decisão, outro em reforços

Marcus Salum indicou que há chance de contratação de mais três ou quatro atletas


14/05/2021 13:02 - atualizado 14/05/2021 17:13

Coordenador de futebol, Salum diz que o América deve contratar de três a quatro jogadores até estreia no Brasileiro(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 19/12/19)
Coordenador de futebol, Salum diz que o América deve contratar de três a quatro jogadores até estreia no Brasileiro (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press - 19/12/19)


A concentração imediata do América é nas finais do Campeonato Mineiro, que serão abertas no domingo contra o Atlético, mas a diretoria se mexe também para reforçar o time a caminho da estreia no Campeonato Brasileiro da Série A, no fim deste mês. A procura é por jogadores que tenham perfil decisivo.
 
 
Coordenador de futebol para a área de clube empresa do América, Marcus Salum indicou que há chance de contratação de mais três ou quatro atletas. Em entrevista ao canal do jornalista Jorge Nicola, o dirigente falou também sobre o processo de reformulação do elenco.

“Nós liberamos quem não foi aproveitado, repusemos com boas peças. Hoje o nosso time é mais qualificado do que o do ano passado, e ainda precisamos de três ou quatro jogadores em posições específicas. Precisa de um goleiro, um ou dois zagueiros, um ou dois atacantes”, sinalizou. “Fizemos uma reunião com a comissão técnica e rodamos nos nomes todos. Não quero mais do mesmo. Mais do mesmo eu tenho muito no mercado. Jogadores intermediários e bons, mas que não vão mudar o meu patamar”.

O dirigente disse, porém, que o América não irá ‘se aventurar’ no mercado, mas focar na força coletiva. “Não existe jogador de R$ 100 mil, 200 mil por mês. Os jogadores ‘tops’ no Brasil são tudo R$ 500 mil, R$ 1 milhão. Esse recurso, que os clubes que sobem recebem da televisão e de outros patrocínios, não permite essas aventuras. Os clubes que se aventuraram se deram mal. A gente tem de apostar em organização, união, trabalho fora de campo, trabalho dentro de campo. Eu equilibro assim”, afirmou.

Ainda assim, sem revelar cifras, Salum revelou que o América praticamente dobrará a sua folha salarial em relação à do ano passado, quando disputou a Série B do Campeonato Brasileiro. “Eu não gosto de falar de número de folha (salarial) e essas coisas. Mas eu diria que nós vamos praticamente dobrar na Série A. Nossa folha não era a maior na Série B. Era uma folha intermediária, talvez entre as seis ou sete maiores. Nós aumentamos o nosso investimento em 80%. Talvez, dependendo do que acontecer daqui para frente, vamos dobrar”, projetou.

Em campo

Sobre a decisão do Estadual, com duelos domingo, no Independência, e dia 22, no Mineirão, o zagueiro Eduardo Bauermann disse que uma das missões para tomar a vantagem do Atlético (que joga por dois empates ou uma vitória e derrota pelo mesmo número de gols) está no poder mental.

Ele citou o revés por 3 a 1 para o alvinegro na fase classificatória e disse que desta vez será diferente. “Aquele jogo, acho que nós não nos preparamos bem mentalmente. Nós sabíamos da importância e da dificuldade que seria, mas, naquele momento, acho que não estávamos no nosso 100% mentalmente. Por isso que eu friso a capacidade de crescimento que o nosso grupo teve e afirmo que estamos preparados para essa final”, enfatizou.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade