UAI
Publicidade

Estado de Minas PRISÃO

Prisão de Milton Ribeiro: veja o que falaram os políticos

O ex-ministro Milton Ribeiro foi preso preventivamente acusado de crimes de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência


22/06/2022 12:23 - atualizado 22/06/2022 18:38

Milton Ribeiro em frente a um pôster do MEC
O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso preventivamente nesta quarta-feira (22/6), em Santos, litoral paulista (foto: Valter Campanato / Agência Brasil )

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso na manhã desta quarta-feira (22/6) pela Polícia Federal na operação Acesso Pago. Ele e outros pastores são suspeitos de operar um balcão de negócios no Ministério da Educação (MEC) e na liberação de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Nas últimas horas, políticos vem repercutindo o assunto.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e pré-candidato às eleições presidenciais usou um “meme” para brincar sobre o assunto. No vídeo, Bolsonaro, em forma de montagem, aparece com a cabeça pegando fogo. “Não foi o Bolsonaro que disse que colocava a cara no fogo pelo Milton Ribeiro?”, brincou o pedetista.



LEIA TAMBÉM: Ministro da Educação sobre prisão de Ribeiro: 'Governo não compactua'
 
A deputada Tabata Amaral (PSB-SP) usou as redes sociais para pedir que todos sejam investigados. "A área que deveria ser a mais importante ao Brasil virou símbolo do desastre desse governo. Os piores ministros da Educação da história não só destruíram, como também transformaram o MEC em balcão de negócios. Que Milton Ribeiro e todos os outros sejam investigados e punidos!".

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) se manifestou pelo Twitter: "O ex-ministro da educação de Bolsonaro, Milton Ribeiro, foi preso por um escândalo de corrupção para liberação de recursos públicos do Ministério. Nós avisamos desde sempre, não avisamos? Nunca foi pra combater a corrupção!"



Quem também falou sobre o assunto foi a presidente do PT, a deputada Gleisi Hoffman. Para ela, o presidente Jair Bolsonaro (PL) deve estar tendo um "péssimo dia”;

"Péssimo dia pro governo corrupto de Jair Bolsonaro. PF prende ex-ministro Milton Ribeiro e pastor cabeça da organização criminosa, que cobrava propina em barra de ouro pra liberar verba da educação. Até outro dia, Bolsonaro dizia que colocava a cara no fogo por ele."

O presidente do PDT, Carlos Lupi, chamou o esquema de Ribeiro de “castelo de mentiras”.  

“O castelo de mentiras e discursos vazios começa a ruir. O notório Milton Ribeiro, ministro da Educação mais mal-educado da história do Brasil, fecha seu ciclo na cadeia, por corrupção. Esse é o destino natural dos comparsas de Bolsonaro, incluindo ele, claro.”

Já Marcelo Freixo (PSB), pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro e deputado federal, disse que a educação é a única esperança que milhões de famílias têm para melhorar de vida. “A prisão de Milton Ribeiro não é só o retrato de um governo corrupto. Ela é o retrato de um governo que está roubando dos brasileiros o direito de sonhar com um futuro melhor.”

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) usou as redes sociais para se pronunciar. No Twitter, Randolfe cobrou a prisão de "quem manda também" e ressaltou a proximidade de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades no Ministério da Educação (MEC).



O senador Renan Calheiros (MDB-AL) críticou o governo de Jair Bolsonaro e cobrou a abertura CPI. "Bolsonaro foi à ONU mentir sobre corrupção, provada na AstraZeneca e Covaxin pela CPI. Barras de ouro do MEC e a prisão do ex-ministro mostram a heresia com a sacristia pública. 'Foi um pedido especial do Presidente', disse Milton Ribeiro. CPI já."


 

Com a palavra, Jair Bolsonaro


Mais cedo, em entrevista à rádio Itatiaia, Bolsonaro disse que Ribeiro deve responder pelos atos dele. “Se tem prisão, é Polícia Federal, é sinal de que a Polícia Federal está agindo. Ele responda pelos atos dele. Peço a Deus que não tenha problema nenhum. Mas, se tem algum problema, a PF está agindo, está investigando, é um sinal que eu não interfiro na PF, porque isso aí vai respingar em mim, obviamente", afirmou.

Preso por corrupção


O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso preventivamente nesta quarta-feira (22/6), em Santos, litoral paulista. O mandado é resultado da operação “Acesso Pago” da Polícia Federal e cita crimes de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência. A operação mira também grupo de pastores. Ao menos um dos pastores, Gilmar Santos, também foi preso.

Segundo a PF, a operação tem o objetivo de investigar a prática de tráfico de influência e corrupção para a liberação de recursos públicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), vinculado ao Ministério da Educação (MEC). 

O mandado, assinado pelo juiz federal Renato Borelli, determina que Ribeiro seja levado para a Superintendência da Polícia Federal em Brasília. A audiência de custódia deve ser realizada ainda hoje.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade