UAI
Publicidade

Estado de Minas PELO TWITTER

Petista chama Bolsonaro de 'desgraçado' após fala sobre COVID em crianças

Maria do Rosário, ofendida pelo presidente da República em 2014, se irritou com fala dele sobre número de mortes infantis pela doença ser 'insignificante'


22/01/2022 19:58 - atualizado 22/01/2022 20:11

 

Maria do Rosário, deputada do PT-RS
Maria do Rosário, deputada do PT, respondeu Bolsonaro após fala sobre a COVID-19 em crianças (foto: AFP / EVARISTO SA)
Após Jair Bolsonaro (PL) chamar de "insignificante" o número de mortes de crianças por causa da COVID-19, a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) reagiu e o chamou de "desgraçado". A parlamentar deu a resposta neste sábado (22/1), horas após o presidente da República dizer, em Eldorado (SP), que o público infantil não precisou de muitos leitos e atendimento complexo nos hospitais.


"Desgraçado. Peço desculpas ao público em geral, mas não há outra palavra para classificar quem diz que é 'insignificante' a morte de crianças por COVID. Se tiver outra palavra, escreva no seu 'tuiter' (sic)", postou a petista.

 

 


A Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI), grupo técnico do Ministério da Saúde, apontou, em dezembro, que 1.449 crianças já haviam morrido em virtude do coronavírus.

"Se você analisar, 2020 e 2021, mesmo na crise do coronavírus, ninguém ouviu dizer que estava precisando de UTI infantil. Não teve. Não tivemos. Desconheço criança baixar no hospital. Algumas morreram? Sim, morreram. Lamento profundamente, tá? Mas é um número insignificante e tem que se levar em conta se ela tinha outras comorbidades também", afirmou Bolsonaro, um dia após o enterro da mãe, Olinda.

Nesta semana, ministros estiveram em Lençóis Paulistas, no mesmo estado, para visitar uma menina que sofreu parada cardíaca por causa de uma doença rara - bolsonaristas, porém, levantaram a tese de que ela havia sofrido o incidente por ter recebido um imunizante antiCOVID-19.

Na quinta-feira (20/1), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a aplicação da CoronaVac, ligada ao Instituto Butantan, em jovens de 6 a 11 anos. O imunizante será incorporado à campanha de vacinação infantil.

Bolsonaro ofendeu deputada e precisou se retratar

Em 2014, Bolsonaro disse a Maria do Rosário que ela "não merecia ser estuprada". A ofensa ocorreu na Câmara dos Deputados. Cinco anos depois, já no Palácio do Planalto, ele precisou se retratar publicamente após decisão judicial.

"Em razão de determinação judicial, venho pedir publicamente desculpas pelas minhas falas passadas dirigidas à deputada federal Maria do Rosário Nunes", escreveu.

À época, por danos morais, o presidente precisou indenizar a petista em R$ 10 mil.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade