UAI
Publicidade

Estado de Minas VACINAÇÃO INFANTIL

PT aciona Conselho de Ética contra Bia Kicis por dados de médicos vazados

Bia Kicis vazou os números de telefone, e-mails e CPFs de três médicos favoráveis à vacinação infantil contra COVID-19 em um grupo de WhatsApp


07/01/2022 20:33 - atualizado 07/01/2022 20:34

Deputada Bia Kicis
Bia Kicis vazou dados pessoas de três médicos favoráveis à vacinação infantil contra COVID-19 (foto: Câmara dos Deputados/Divulgação)
Nesta sexta-feira (7/1), o Partido dos Trabalhadores (PT) solicitou investigação da deputada Bia Kicis (PSL) por divulgar, de forma ilegal, os dados pessoais de três médicos considerados favoráveis à vacinação infantil contra a COVID-19. Os médicos tiveram números de telefone, e-mails e CPFs vazados em um grupo de WhatsApp.

A parlamentar, que preside a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, admitiu ter vazado as informações. Os documentos estavam em poder do Ministério da Saúde, já que os médicos participaram da audiência pública promovida pela pasta na última terça-feira (4/1).

Os médicos são Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações; Marco Aurélio Sáfadi, da Sociedade Brasileira de Pediatria; e Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações.
 
O diretório nacional do PT enviou representação para o Conselho de Ética da Câmara. No documento, afirma-se que a deputada Bia Kicis abusou dos privilégios de seu cargo. "A deputada só obteve acesso às Declarações de Conflitos de Interesses antes da censura dos dados pessoais dos médicos justamente porque ocupa o cargo eletivo de deputada".  

Em suas redes sociais, o também deputado Reginaldo Lopes (MG), líder da bancada do PT na Câmara, destacou que a postura de Bia é criminosa, pois coloca a segurança dos médicos em risco. “O PT decidiu entrar no Conselho de Ética contra a deputada Bia Kicis pela postura criminosa que pôs em risco a segurança de médicos. A atitude da deputada será analisada e ela pode até perder o mandato, que dedica desde o início a alimentar o ódio.”
 
Confira a postagem na íntegra:
 


Além disso, outro pedido de investigação foi feito à Procuradoria-Geral da República (PGR). O deputado Alexandre Padilha (PT) pediu para “dimensionar a responsabilidade” de Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, e da deputada Bia Kicis, além de “apontar mudanças na proteção de dados” por parte da pasta. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade