UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: Bolsonaro lamenta decisão da Anvisa de suspender cruzeiros no país

A agência recomendou a medida após aumento do número de casos da doença nos cinco navios que operam na costa brasileira


05/01/2022 15:27 - atualizado 05/01/2022 16:04

Presidente Jair Bolsonaro (PL) em coletiva de imprensa antes de deixar o hospital Vila Nova Star, nesta quarta-feira (5/1)
Presidente Jair Bolsonaro (PL) em coletiva de imprensa antes de deixar o Hospital Vila Nova Star, nesta quarta-feira (5/1) (foto: Reprodução/Agência Brasil )
O presidente Jair Bolsonaro (PL) lamentou a recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ao Ministério da Saúde, de suspender a temporada de navios de cruzeiros na costa brasileira. A decisão foi tomada após centenas de casos de COVID-19 serem registrados entre passageiros e tripulantes.

 

 


Segundo Bolsonaro, o Brasil é uma potência na área do turismo. 

"O mundo todo tá de olho em nós. Não é porque somos bonzinhos não, é porque nós temos muito a oferecer. O Brasil é uma potência no agronegócio, é uma potência mineral, é uma potência no turismo - lamento a decisão que tivemos agora, não pelo meu governo, pela Anvisa, no tocante aos cruzeiros. O Brasil é uma potência", disse o presidente, em coletiva de imprensa antes de deixar o hospital Vila Nova Star, nesta quarta-feira (5/1). 

"A gente pede bom senso a todo mundo para que a gente possa levar o Brasil adiante, porque sem economia, não tem saúde", afirmou.

O presidente voltou a criticar as políticas de isolamento social e exaltou o Auxílio Brasil. Porém, segundo ele, para manter o benefício, é preciso que a economia progrida. 

"Vivemos um momento difícil da pandemia, com influência direta na economia. O 'fica em casa e a economia a gente vê depois', vem inflação em cima disso, preço de combustível e tantos outros problemas, foi no mundo todo. Nós também acertamos durante o mês de dezembro todo, no fim do mês resolvida a questão do Auxílio Brasil, que substitui o Bolsa Família, que tinha média de R$ 192 e agora passa para o mínimo de R$ 400, pra gente manter tudo isso, a economia tem que ir pra frente.”

COVID-19 em navios de cruzeiro


De acordo com a Anvisa, foram registrados quase 800 casos de COVID-19 nas cinco embarcações que operam na costa brasileira, em apenas 9 dias. A agência informou que desde o início da temporada de 2021-2022, em 1 de novembro, foram confirmados 829 casos de infecção entre tripulantes e passageiros dessas embarcações.

Na segunda-feira (3/1), a Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (CLIA) informou que as companhias decidiram suspender suas operações no Brasil até 21 de janeiro.

O Procon do Rio de Janeiro (Procon-RJ) notificou, nesta terça-feira (4/1), a MSC Cruzeiros e a Costa Cruzeiros para prestar esclarecimentos após notícias sobre surtos de COVID-19 a bordo das embarcações que operam na costa fluminense. A autarquia determinou que as empresas respondam questionamentos, dentre eles, como serão realizados os reembolsos e remarcações das viagens que forem interrompidas ou canceladas.
 
*Estagiária sob supervisão  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade