UAI
Publicidade

Estado de Minas CONFLITO DE INTERESSES

TCU determina que empresa em que Moro trabalhou divulgue quanto ele ganhou

Ministério Público trabalha com a teoria de que houve conflito de interesses, já que Moro ajudou na reconstrução de empresas indiciadas na Lava-Jato


28/12/2021 14:01 - atualizado 28/12/2021 14:29

Foto do ex-juiz Moro
Ex-juiz Sergio Moro (foto: Agência Brasil/Reprodução)
O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que a consultoria americana Alvarez & Marsal divulgue quando o candidato a Presidência Sergio Moro (Podemos) recebeu ao deixar a empresa.
 
  
O ex-juiz da Lava-Jato deixou a empresa em 31 de outubro deste ano para poder iniciara carreira política.
 
A decisão foi do ministro Bruno Dantas, que determinou que a firma deve enviar  “toda a documentação relativa ao rompimento do vínculo de prestação de serviços” com o ex-juiz Sérgio Moro, incluindo "datas das transações e valores envolvidos”.
 
O ministro acatou um pedido feito pelo Ministério Público, que argumentou que a Corte deve obter as informações para avaliar se houve suposto conflito de interesses ou ainda “favorecimentos, manipulação e troca de favores entre agentes públicos e organizações privadas".
 
Moro ficou conhecido por comandar, entre março de 2014 a novembro de 2018, em primeira instância, os processos relacionados aos crimes identificados na Operação Lava-Jato, envolvendo grande número de políticos, empreiteiros e empresas.

O ex-juiz começou a trabalhar na Alvarez & Marçal depois que deixou o cargo de ministro da Justiça de Jair Bolsonaro (PSL). Na empresa, Moro trabalhou para a recuperação de companhias afetadas pela Lava-Jato.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade