UAI
Publicidade

Estado de Minas DESOBEDIÊNCIA

Bolsonaro avisa que não vai cumprir decisões de Alexandre de Moraes

Em São Paulo, presidente da República sugeriu ao ministro do STF que peça para deixar o cargo


07/09/2021 16:46 - atualizado 07/09/2021 18:12

Em ato na Paulista, Bolsonaro atacou Alexandre de Moraes
Em ato na Paulista, Bolsonaro atacou Alexandre de Moraes (foto: Miguel Schinchariol/AFP)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta terça-feira (7/9), que vai desobedecer as ordens legais dadas pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A apoiadores que se aglomeram na Avenida Paulista, em São Paulo (SP), o chefe do poder Executivo federal sugeriu a Moraes que deixe a corte.

 

 

 

 

Leia também:  Bolsonaro sobre Alexandre de Moraes: 'Deixa de ser canalha'


"Qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, este presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou. Ele tem tempo ainda para pedir o seu boné e (ir) cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais", afirmou.

 

 

Leia também:  Na Paulista, Bolsonaro volta a atacar Moraes: 'Açoita a nossa democracia'  


Além de propor desobediência aos atos do ministro, Bolsonaro falou que Moraes "açoita" a democracia brasileira. Ele clamou por "liberdade" a presos que, em sua visão, foram encarcerados por motivações políticas. Nesse grupo, estão figuras como o presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, detido em função do inquérito que investiga a formação de milícias digitais para atacar instituições democráticas. 


"Liberdade para os presos políticos. Fim da censura. Fim da perseguição àqueles conservadores e àqueles que pensam no Brasil", pediu Bolsonaro.

Em Brasília (DF), mais cedo, o presidente da República não mencionou Moraes nominalmente. Na capital paulista, no entanto, ele citou o ministro por diversas veses. "Respeitamos a lei e a nossa Constituição. Não vamos mais admitir que pessoas como Alexandre de Moraes continuem a açoitar a nossa democracia e a desrespeitar a nossa Constituição".



Em agosto, Bolsonaro enviou ao Senado Federal um pedido de impeachment de Moraes. A solicitação foi rejeitada pelo presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Há meses, Bolsonaro assegura, sem provas, que ganhou o pleito de 2018 no primeiro turno. Para o presidente, as eleições foram fraudadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As declarações ampliaram as tensões entre Bolsonaro e o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, também ministro do STF. Barroso defende que as eleições são justas e que as declarações do presidente não passam de fake news.

Após diversos xingamentos do presidente a Barroso, ao TSE e também ao STF, Alexandre de Moraes incluiu Bolsonaro no inquérito das fake news. Há, também, apuração em torno do incentivo a atos antidemocráticos.

 

 

Veja o discurso na íntegra 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade