UAI
Publicidade

Estado de Minas AGRESSÃO

Joice Hasselmann: 'Não terei o mesmo destino de PC Farias'

A parlamentar afirma que na madrugada de 18 de julho acordou com ferimentos e marcas de sangue no chão do apartamento onde mora, em Brasília


27/07/2021 16:23 - atualizado 27/07/2021 17:06

Joice Hasselmann (PSL-SP):
Joice Hasselmann (PSL-SP): "Ninguém entraria na casa de uma parlamentar para agredi-la dando 'tchauzinho' para a câmera" (foto: Redes Sociais/Reprodução)
A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) usou as redes sociais, nesta terça-feira (27/7), para comentar a perícia realizada pela Polícia Civil no apartamento onde ela vive com o marido, Daniel França, em Brasília.


A declaração vai de encontro com a nota divulgada, minutos antes, pela Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados (Depol). 

Na nota, a polícia diz que fez perícia nas 16 câmeras do prédio da deputada e ouviu funcionários que trabalham no local. 
 
“A Câmara esclarece que há segurança nos locais onde ficam os apartamentos funcionais dos parlamentares. Os prédios possuem vigilância armada e porteiros, ambos 24 horas por dia, 7 dias por semana. Além disso, há câmeras de segurança e rondas ostensivas, com viatura caracterizada”, diz a nota.

No post, Joice disse que o ataque "não é coisa de amador, mas de profissionais".

“Ninguém entraria na casa de uma parlamentar para agredi-la dando ‘tchauzinho’ para a câmera do térreo ou do elevador, tendo tantos pontos cegos no prédio. Não terei o mesmo destino de PC Farias”, escreveu.
 
 

O empresário PC Farias foi morto em junho de 1996, no interior de Alagoas. Além de tesoureiro da campanha de Fernando Collor, ele foi protagonista do escândalo de corrupção que culminou na perda de mandato do ex-presidente, que durou de 15 de março de 1990 a 29 de dezembro de 1992.
 
“Vou até as últimas consequências. Entregarei meu sigilo telefônico (que já estava à disposição) para as polícias. Faço questão que os delegados vejam as mensagens. Outros boletins de ocorrência e notícias crime serão feitos essa semana. É muito material que está sendo levantado”, disse.
 

Agressão

A parlamentar afirma que na madrugada de 18 de julho acordou com ferimentos e marcas de sangue no chão do apartamento onde mora, em Brasília. Ela diz não se lembrar do que ocorreu. 
 
 
Joice percebeu que estava com dois dentes quebrados e um corte no queixo. Um hospital de Brasília constatou que a parlamentar também teve cinco fraturas no rosto e na costela.
 

Desconfianças

Na tarde dessa segunda-feira (26/5), Joice disse que desconfia que alguém dentro do Palácio do Planalto esteja tentando interferir nas investigações sobre uma possível invasão à sua residência, que resultou na agressão. 
 
 
Segundo a deputada, alguém dentro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República  (GSI) está tentando mudar a narrativa dos fatos. 
 
Ainda de acordo com a parlamentar, um objeto foi achado minutos antes da coletiva de imprensa, convocada por ela, no último domingo (25/7).
 
Joice também deixou claro que acredita que o agressor ou o mandante do crime é parlamentar. Ela ainda disse que “confia na PF”, mas sente medo da interferência do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na instituição.
 
*Estagiária sob supervisão do editor Álvaro Duarte


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade