Publicidade

Estado de Minas EXECUTIVO MUNICIPAL

Justiça Eleitoral cassa prefeito de Ibirité por irregularidades na campanha

Acusado de uma série de ações irregulares durante a campanha eleitoral de 2020, quando foi reeleito, William Parreira (Avante) vai recorrer da decisão


19/07/2021 13:21 - atualizado 19/07/2021 13:38

Prefeito de Ibirité é cassado e vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral, que julgou ações indevidas em período eleitoral(foto: Marcos Vinicius Mendonça/Divulgação)
Prefeito de Ibirité é cassado e vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral, que julgou ações indevidas em período eleitoral (foto: Marcos Vinicius Mendonça/Divulgação)
O prefeito de Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), William Parreira (Avante), foi cassado pela Justiça Eleitoral. A decisão da juíza Daniela Cunha Pereira da 351ª Zona Eleitoral teve como base ações de Parreira que ocorreram em período eleitoral de 2020.

O prefeito, porém, permanecerá no cargo exercendo suas funções normalmente até que o processo seja julgado em segunda instância. Em nota, Parreira informou que respeita a decisão da 351ª Zona Eleitoral de Ibirité, porém irá recorrer ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG).

A sentença deve ser publicada nos próximos dias no Diário da Justiça Eletrônico (DJE) e a partir da publicação, a defesa terá três dias para apresentar recurso, que será encaminhado ao TRE-MG. Durante esse prazo, o Poder Judiciário indica um relator.

Entre os fatos que levaram a juíza a essa decisão estão o uso eleitoreiro da 2ª edição do Jornal Ibirité em Ação (com 20 mil exemplares), propaganda institucional em período vedado por meio de mídias digitais, busdoors, outdoors, uso de uniformes com a logomarca da gestão, bem como logomarca da gestão divulgada quando do acesso à rede gratuita de wi-fi da prefeitura distribuída em locais públicos.

A criação de linha de ônibus, com número 7070, também é citada no processo, assim como o adiantamento injustificado do calendário de distribuição de cestas básicas para que a ação fosse concluída antes do pleito (15/11/2020), enquanto que nos meses anteriores a distribuição se iniciava próximo ao dia 20. 

Outros pontos levantados foram a realização de propaganda eleitoral negativa falsa, imputando ao prefeito a responsabilidade pela suspensão da distribuição de cestas básicas, com participação, inclusive, de Parreira que gravou um vídeo sobre o assunto, a distribuição de kits escolares no mês de outubro, logo antes do pleito sem apresentação de qualquer justificativa a respeito do momento de distribuição e a concentração de obras de forma ostensiva nos quatro meses que antecediam o pleito.

William Parreira foi reeleito em 2020 com 55,44% dos votos, derrotando Toninho Pinheiro, que ficou em segundo lugar com 41,36%.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade