Publicidade

Estado de Minas 'PELO POVO E PELA HISTÓRIA'

Pacheco sobre intervenção nas eleições: 'Será considerado inimigo da Nação'

A coletiva foi marcada após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltar a falar da possibilidade de fraude nas eleições do próximo ano


09/07/2021 17:05 - atualizado 09/07/2021 17:20

Senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG)(foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
Senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) (foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)
O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou durante coletiva de imprensa, realizada nesta sexta-feira (9/7), que qualquer um que pretender um retrocesso na democracia brasileira será considerado “inimigo da Nação”.

A coletiva foi marcada após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltar a falar da possibilidade de fraude nas eleições do próximo ano. Ele chegou a colocar em dúvida, mais uma vez, a realização do pleito de 2014, quando Dilma Rousseff foi eleita presidente do Brasil.
 

“Tudo o que houver de especulações, como a frustração das próximas eleições, é algo com o que o Congresso não concorda e repudia veementemente. Não admitiremos qualquer tipo de retrocesso nesse sentido”, afirmou o presidente do Senado.

De acordo com ele, “todo aquele que pretender algum retrocesso será apontado pelo povo e pela história inimigo da Nação”.

“Por mais que seja óbvio o que eu vou dizer, temos compromissos. Entre eles, com a república brasileira.... também a importância da separação dos poderes, que não significa desunião, mas respeito”, disse o senador.
 

Segundo Pacheco,  a democracia está estabelecida no Brasil. “Sem risco”, pontuou.
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade