Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Para defender tratamento precoce, Bolsonaro fala em 'água de coco' na veia

Presidente faz comparação curiosa com 'tratamento' usado em soldados na guerra do Pacífico ao falar em medicamentos sem comprovação científica durante 'live'


22/04/2021 19:47 - atualizado 23/04/2021 08:05

Bolsonaro esteve em live ao lado do ministro Marcos Pontes(foto: Reprodução/Facebook)
Bolsonaro esteve em live ao lado do ministro Marcos Pontes (foto: Reprodução/Facebook)
 
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez comparações inusitadas com uma possível água de coco injetada na veia de soldados durante a Guerra do Pacífico, no século 19, para defender o tratamento precoce contra o coronavírus, que não é comprovado cientificamente.

“Lá atrás, na guerra do Pacífico, o cara chegava sem sangue, ferido, e não tinha quem fizesse a transfusão. A negada metia água de coco na veia do soldado. Deu certo para muita gente. Tinha comprovação científica? Não. Por que não se pode falar em remédio?”, afirmou o presidente, durante  transmissão ao vivo nesta quinta-feira (22/4).
 
O presidente fez referência às campanhas do outubro rosa e do novembro azul para falar sobre o tratamento sem comprovação. Ele não citou os medicamentos cloroquinaivermectina azitromicina, usados no tratamento precoce, e alfinetou o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta.

“O que é o outubro rosa? É relativo ao câncer de mama, no qual mulheres se submetem ao exame para ver se tem algum problema e vai para o tratamento imediatamente. O que é o novembro azul? Uma vez descoberto o câncer de próstata, o homem vai para o tratamento rápido. Por que o cara da COVID-19 você tem de ir para casa e ficar com o protocolo Mandetta, com falta de ar, e ir para o hospital. Para quê? Ser intubado”, afirmou o presidente, que esteve ao lado de Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações. 

“É um crime que faz no Brasil. É uma patifaria no tocante ao COVID-19. O que interessa é morrer gente”, completou Bolsonaro.

Bolsonaro não citou diretamente o termo tratamento precoce nem mesmo os medicamentos por causa da nova política do YouTube e do Facebook de apagar as postagens relacionadas ao tema. O presidente falou sobre o assunto de forma indireta nesta noite. 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade