Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Pazuello: 'O SUS não colapsou em 2020 e será colocado à prova em 2021'

A declaração foi feita durante coletiva de imprensa para anunciar a contratação das vacinas da Pfizer e da Janssen


15/03/2021 17:14 - atualizado 15/03/2021 17:40

Pressionado a desistir do cargo, Pazuello contratou mais vacinas(foto: Carolina Antunes/PR )
Pressionado a desistir do cargo, Pazuello contratou mais vacinas (foto: Carolina Antunes/PR )
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, voltou a dizer, nesta segunda-feira (15/3), que o SUS não colapsou. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa para anunciar a contratação das vacinas da Pfizer e da Janssen.

“O SUS não colapsou em 2020 e será colocado à prova em 2021. Para vencermos a batalha nesse novo ciclo, precisamos estar unidos e focados no mesmo propósito, o de salvar cada vez mais vidas”, pontuou Pazuello.
Pressionado a desistir do cargo, Pazuello contratou mais vacinas. De acordo com o cronograma apresentado pelo ministro, são 100 milhões de doses da Pfizer e 38 milhões da Janssen "contratadas", entre outras. 

O ministro também disse que, no total, há 562 milhões de doses contratadas pelo Ministério da Saúde em 2021.
 
Leia: Eduardo Bolsonaro participou de reunião do presidente com Ludhmila Hajjar 

'O sistema de saúde do Brasil não colapsou, nem vai colapsar'

Essa não é a primeira vez que Pazuello afirma que o SUS não colpasou. Na quinta-feira (11/3), mesmo em meio ao aumento de casos e mortes, caos em algumas capitais e o ritmo lento da vacinação no Brasil, o ministro da Saúde afirmou que o sistema de saúde brasileiro “não colapsou, nem vai colpasar”. 

“Vivemos um momento grave no país, com muitas perdas de vidas que foram causadas, principalmente, pelas novas variantes do coronavírus. O nosso sistema de saúde está muito impactado, mas não colapsou, nem vai colapsar”, disse Pazuello, em vídeo divulgado pelo Ministério da Saúde.

Segundo Pazuello, o governo está agindo de uma forma “integrada com governadores e prefeitos".

Pandemia

Segundo os dados do Ministério da Saúde, até esta segunda-feira (15/3), o Brasil registrou 11.483.370 de casos confirmados de COVID-19. O vírus matou 278.229 pessoas no Brasil. 

Na sexta-feira (12/3), o Brasil voltou a ser o segundo país do mundo com mais casos de COVID-19, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, superando a Índia e ficando atrás apenas dos Estados Unidos.
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  
 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.


transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
  • Em casos graves, as vítimas apresentam:
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
  • Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade