Publicidade

Estado de Minas RESULTADO RUIM

PT fica sem capitais pela primeira vez; partido tem vitórias apenas em cidades médias

Nas duas capitais que disputou neste domingo, em Vitória e no Recife, legenda sucumbiu


29/11/2020 21:08 - atualizado 29/11/2020 21:23

Partido capitaneado pelo ex-presidente Lula não conseguiu capitais no pleito municipal deste ano.(foto: Sérgio Lima/AFP)
Partido capitaneado pelo ex-presidente Lula não conseguiu capitais no pleito municipal deste ano. (foto: Sérgio Lima/AFP)
O Partido dos Trabalhadores (PT) terminou o segundo turno da eleição municipal sem conquistar capitais. Pela primeira vez, a legenda ficará sem controlar polos estaduais. O fato foi consumado neste domingo (29/11), após as derrotas de Marília Arraes, no Recife (PE), e de João Coser, em Vitória (ES). 


Em 2016, o PT conquistou apenas a Prefeitura de Rio Branco, no Acre, com Marcus Alexandre, que deixou o posto dois anos depois para concorrer ao governo. Ele foi substituído pela vice, Socorro Neri (PSB), que perdeu neste domingo para Tião Bocalom(PP).

O melhor desempenho do PT nas capitais que disputou neste domingo foi em solo pernambucano. Marília teve 43,73% dos votos válidos, mas sucumbiu ante os 56,27% conquistados pelo primo, João Campos (PSB).

Em Vitória, Coser foi derrotado por Delegado Pazolini (Republicanos). O petista obteve 41,5% dos votos válidos, ante 58,5% do oponente.

Metade das vitórias do domingo em Minas


A legenda de Luiz Inácio Lula da Silva participou de 15 segundos turnos. Onze terminaram em triunfos. Dois deles ocorreram em Minas Gerais. A deputada estadual Marília Campos derrotou Felipe Saliba em Contagem, na Região Metropolitana. Enquanto isso, a parlamentar Margarida Salomão ganhou de Wilson Rezato em Juiz de Fora. Ao todo, o partido vai gerir 28 localidades mineiras.

As outras vitórias do PT ocorreram nas paulistas Diadema e Mauá. Os felizardos foram Filippi Júnior e Marcelo Oliveira, respectivamente.

Pouco antes das 15h, a duas horas do fechamento das urnas, a ex-presidente Dilma Rousseff chegou a responder uma seguidora no Twitter, afirmando que o PT retomaria a força obtida no passado. No post, a mulher relatou “saudades” das gestões do partido. “Voltaremos”, rebateu Dilma.

Resultado sinaliza demanda do eleitor


Rival do PT na polarização partidária que marcou tempos recentes do país, o PSDB também sofreu queda de desempenho. Embora tenha conquistado São Paulo com Bruno Covas, viu o número de capitais vencidas encolher: as sete de quatro anos atrás converteram-se em quatro.

Em Minas Gerais, o partido obteve 90 vitórias. Neste domingo, André Merlo triunfou em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce.

Para Camila Rocha, cientista política e pesquisadora do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (CEBRAP), o momento das legendas reflete certa “frustração” do eleitorado.

“Hoje, ainda que (João) Doria tenha tenha tentado uma renovação à direita, o PSDB não encontrou o que, exatamente, está representando no cenário nacional. A mesma coisa (vale para) o PT”, menciona.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade