Publicidade

Estado de Minas RETA FINAL

Eleições 2020: Campanha eleitoral ganha as ruas de Valadares

Por toda a cidade é possível ver moças e rapazes segurando bandeiras e carregando nas costas as "mochilas pirulito". Segundo turno movimentou as gráficas locais


26/11/2020 07:08 - atualizado 26/11/2020 08:01

Na Avenida Minas Gerais, centro de Governador Valadares, o espaço é disputado pelas duas campanha no segundo turno(foto: Tim Filho)
Na Avenida Minas Gerais, centro de Governador Valadares, o espaço é disputado pelas duas campanha no segundo turno (foto: Tim Filho)
A realização do segundo turno das Eleições 2020 em Governador Valadares, ampliou o debate entre os candidatos André Merlo (PSDB) e Luciano Oliveira, o Dr. Luciano (PSC). A eleição é no próximo domingo (29-11).

A reta final da campanha tem sido marcada por uma forte exposição dos dois candidatos nas redes sociais. No início da campanha, muitos acreditavam que em tempos de pandemia do novo coronavírus as campanhas ficariam restritas às redes sociais, mas a campanha também chegou às ruas, como nos velhos tempos.


Nesse segundo turno, as duas campanhas disputam cada metro quadrado da Avenida Minas Gerais, no Centro da cidade, com moças e rapazes segurando bandeiras com nome e número dos candidatos, ou levando nas costas as “mochilas pirulito”, com uma haste que lembra um pirulito redondo, estampado com o número do candidato, que será digitado na urna eletrônica no domingo.

Bandeiras, estandartes, mochila pirulito, adesivos, cartazes e santinhos. A campanha em dois turnos em Governador Valadares, aumentou a produção de todas essas peças de publicidade para a propaganda eleitoral colocada na rua. 

Mesmo com o risco de contrair a COVID-19 no meio das aglomerações, a campanha de rua se transformou em oportunidade de ouro para ganhar um dinheiro extra. Para muitos, oportunidade única, que em tempos de pandemia do novo coronavírus não pode ser desperdiçada.
 
“Eu fui contratada para trabalhar 15 dias nessa reta final de campanha e vou ganhar 350 reais por todos esses dias”, disse uma moça que estava na Avenida Minas Gerais e pediu para não se identificar. Ela disse que trabalhava como diarista, antes da pandemia. Perdeu os trabalhos e viu nas campanhas eleitorais uma forma de levar o alimento para os dois filhos pequenos.

O valor pago pelas coordenações para esse contingente de moças e rapazes que estão nas ruas não ultrapassa os 25 reais por dia. Nenhuma das coordernações revela quantas pessoas foram contratadas, alegando que as contratações e os valores poderão ser vistas na prestação de contas.

Gráficas aprovaram o segundo turno


Logo que a COVID-19 se espalhou pelo mundo no início de 2020 e a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do novo coronavírus, a oportunidade para o setor gráfico de ganhar um dinheiro extra com as Eleições 2020 foi frustrada. 

Marcos Vinícius Silva Andrade, diretor da maior empresa de comunicação visual da cidade, que teve de fechar sua empresa na segunda quinzena de março, por causa das restrições impostas pelas autoridades para o combate à COVID-19, disse que o segundo semestre de 2020 surpreendeu. A movimentação em seu parque gráfico foi intensa. “O segundo turno foi o grande responsável pelo movimento na produção e nas vendas a vista”, disse.

Grande parte do material que se vê nas ruas é feito em sua empresa, que há anos trabalha como gráfica rápida, mas desde o fim de 2019 colocou em funcionamento uma impressora offset, que em 2020 produziu milhares de santinhos e cartazes. As outras gráficas de Governador Valadares também não pararam as máquinas. E o resultado pode ser visto nas ruas, em verde e amarelo, as cores usadas na duas campanhas. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade