UAI
Publicidade

Estado de Minas Eleições municipais

Demandas locais e o coronavírus ditam rumos na reta final das campanhas em Minas

Escolha de candidatos às prefeituras e câmaras municipais estão pouco associados a problemas distantes do eleitor ou ligados aos conflitos da política nacional


08/11/2020 06:00 - atualizado 08/11/2020 07:43

Equipe do Exército dedetiza contra a COVID-19 o Mercado Municipal de Montes Claros, no Norte de Minas, onde há 9 candidatos a prefeito (foto: Exército/Divulgação - 9/9/20)
Equipe do Exército dedetiza contra a COVID-19 o Mercado Municipal de Montes Claros, no Norte de Minas, onde há 9 candidatos a prefeito (foto: Exército/Divulgação - 9/9/20)

Temas locais e relacionados à pandemia de COVID-19 têm predominado e devem ser essenciais na decisão dos eleitores. Em cidades-polo de Minas Gerais, é também esperada disputa acirrada. O cientista político Carlos Ranulfo, do Departamento de Ciência Política da UFMG, considera que a campanha municipal deste ano transcorre com foco em questões locais, sem vínculo com a polarização, em nível nacional, entre o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a oposição. “Esta é uma eleição com temas locais e com predominância da questão da pandemia”, assegura.
 
O especialista destaca que a polarização política a que os brasileiros assistiram no pleito de 2018 não se repete nestas eleições porque os problemas são outros, de cunho local. “Os eleitores das capitais e de outras cidades não vão votar pensando na polarização Bolsonaro versus esquerda ou versus PT. Isso, eventualmente, pode acontecer. Mas, no geral, o que motiva o eleitor é pensar na sua cidade. E, nesse sentido, temos o problema da pandemia”, relata.
 
Entre as grandes cidades do estado, Uberaba, no Triângulo Mineiro, mostra uma das disputas mais acirradas, com a escolha do futuro gestor municipal caminhando para o segundo turno. No início da campanha, o deputado estadual Delegado Heli Grilo (PSL) e o ex-deputado estadual Tony Carlos (PTB) saíram na frente na sondagem sobre a preferência do eleitorado na cidade.
 
Contudo, a última pesquisa Ibope para a eleição municipal de Uberaba, divulgada na quinta-feira pela TV  Integração (afiliada da Rede Globo), mostrou o crescimento da candidatura da empresária Elisa Saúde (Solidariedade), que estava distante dos preferidos nas consultas anteriores. Com 16% das intenções de voto, ela apareceu em terceiro lugar na nova pesquisa, atrás de Tony Carlos (21%) e de Delegado Heli Grilo (20%). Em quarto lugar está o vereador Thiago Mariscal (PSC), com 10%, seguido dos candidatos Antônio Lerin (PDT), 5%; e Patrícia Melo (PT), 5%.
 
Na vizinha Uberlândia,  o prefeito Odelmo Leão (PP) concorre à reeleição com a possibilidade sair vitorioso no primeiro turno. Na última pesquisa do Ibope sobre as eleições no município, encomendada pela TV Integração (afiliada Rede Globo) e divulgada em outubro, Odelmo apareceu com 51% da preferência, bem à frente dos demais candidatos. Em segundo lugar no levantamento ficou o candidato Adriano Zago (PDT), com 8%, seguido de Felipe Attiê (PTB), 7%. Na quarta posição, ficaram empatados os candidatos Lourival Santos (MDB) e Thiago Fernandes (PSL), ambos com 4%.

Cabo de guerra No extremo oposto, em Montes Claros, no Norte de Minas, ainda não foram divulgadas pesquisas sem vínculo partidário. De acordo com analistas e pessoas ligadas ao meio político local, o prefeito Humberto Souto (Cidadania), candidato à re- eleição, está bem da frente de seus concorrentes, e tem chances de ganhar a eleição no primeiro turno.
 
Humberto Souto divulgou, em seu programa no horário gratuito da propaganda eleitoral, pesquisa encomendada pelo comando da campanha que o coloca em vantagem em relação aos concorrentes suficiente para a eleição dele no primeiro turno. Os adversários tentam desqualificar o levantamento divulgado e afirmam que vão levar a disputa para o segundo turno.
 
Contando com uma forte estrutura partidária – 12 siglas (PDT, PTB, Rede, DEM, Patriota, Solidariedade, Cidadania, MDB,  PSD, PSC, PSL e PSDB) –, o prefeito tem como principais adversários o ex-prefeito Ruy Muniz (PSD) e a deputada estadual Leninha Souza (PT). Também concorrem à Prefeitura de Montes Claros Silvano Tolentino (Podemos), Emerson Guimarães (PV), Marcelo Walmor (PTC), Ildefonso (Fon Fon, do PMB), José Leite (PMB) e Janaele Neri (Psol).


Primeiro turno de votação nas eleições 2020 será em 15 novembro. Confira nosso guia
Primeiro turno de votação nas eleições 2020 será em 15 novembro. Confira nosso guia

Eleições 2020: como votar, datas e horários

O primeiro turno das eleições 2020 será em 15 de novembro e, caso seja necessário no seu município, o segundo turno será realizado em 29 de novembro de 2020. Nestas eleições, o horário de votação é das 7h às 17h. O horário entre 7h e 10h é preferencial para maiores de 60 anos.

Com as novas medidas diante da pandemia do coronavírus, preparamos um guia com tudo que você precisa saber para votar nas eleições 2020.

O que muda nas eleições 2020?

Muitas mudanças foram feitas pela Justiça Eleitoral para os candidatos a prefeito e vereador durante o período eleitoral de 2020. Além disso, os eleitores também terão de se adaptar às novas normas para os dias de votação, como a abertura antecipada das seções eleitorais e as regras de higiene que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  


Como justificar o voto nas eleições 2020?

Os eleitores poderão optar por justificar o voto de três formas: 
  • No dia das eleições: o eleitor que estiver fora de sua cidade pode justificar a ausência em qualquer local de votação, das 7h às 17h. O eleitor deverá ter o número do título, um documento oficial de identificação e o formulário de justificativa preenchido.

  • Depois das eleições: preenchendo o formulário de justificativa em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor em até 60 dias após a votação.

  • A justificativa também poderá ser feita no aplicativo e-Título.

Eleições 2020 em Belo Horizonte

Na capital mineira, 15 candidatos disputam as eleições para prefeito. Conheça quem são os candidatos e o perfil de cada na corrida rumo à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). Já para vereador, Belo Horizonte conta com mais de 1,5 mil candidatos. Alguns apostaram em apelidos e codinomes bem inusitados para conseguir votos.



Para acompanhar a cobertura completa das eleições em BH, acesse nosso especial

Para saber mais sobre as Eleições 2020 em Minas Gerais, leia também a cobertura completa das eleições na Grande BH e nas regiões Centro-OesteLesteNorteSul de MinasTriângulo Mineiro e Zona da Mata.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade