Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2020

Áurea Carolina aposta em preservação socioambiental para resolver problemas causados pela chuva em BH

Candidata do PSOL à Prefeitura de Belo Horizonte criticou a política de urbanização implantada na capital desde sua fundação


29/10/2020 14:12 - atualizado 29/10/2020 15:20

Áurea Carolina (foto: Túlio Santos/EM/D.A. Press)
Áurea Carolina (foto: Túlio Santos/EM/D.A. Press)
As chuvas são motivos de temor para muitos moradores de Belo Horizonte. A capital mineira tem um histórico de tragédias provocadas pela ação climática e o combate a esse efeito danoso das precipitações atmosféricas está na pauta da maioria dos candidatos à PBH. 

Áurea Carolina, concorrente do PSOL nas eleições municipais, disse que o problema das enchentes e deslizamentos na capital é consequência de uma política de urbanização equivocada, aplicada desde a época de fundação da cidade.

Em entrevista aos Diários Associados (Estado de MinasTV Alterosa e Portal Uai) nesta quarta-feira, ela afirmou que essa estratégia precisa ser revista pela administração pública.

“Desde a fundação de Belo Horizonte, temos uma política de planejamento urbano muito equivocada, baseada na lógica de sair concretando tudo, canalizando os córregos e rios, matando a força das águas debaixo da terra, para fazer a ideia de uma cidade moderna e avançada. E é tudo ao contrário. Logo nos primeiros anos do surgimento de BH já tivemos registros de inundações causadas por essa política equivocada. Para nossa indignação, de lá para cá esse modelo não mudou. A Prefeitura continua investindo nesse modelo de canalização, como se investir no erro fosse uma hora dar certo. Todos os estudos técnicos e elaborações mais responsáveis e consistentes apontam que é necessário mudar essa lógica”, criticou a candidata.

Não bastasse a pandemia de COVID-19, o ano de 2020 sediou também o mês mais chuvoso da história de Belo Horizonte. Em janeiro, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o volume de chuva do período foi o maior em 112 anos, quando a série histórica teve início. Foram 932,3 mm, número que supera os 850,3 mm registrados em janeiro de 1985 - maior média mensal até então.

Áurea Carolina acredita que o caminho é tornar a cidade mais permeável e ‘respeitar as águas’, promovendo a preservação socioambiental.

“O que a gente propõe é que – em vez de sair gastando fortunas com essas grandes obras que vão beneficiar empreiteiros que também querem lucrar à custa da desgraça ambiental e social que esse modelo produz – a gente vai voltar com uma política que foi iniciada em BH, mas que não foi para frente justamente por causa desses interesses. É o Drenurbs, que já teve um caminho positivo de fazer com que a cidade se torne mais permeável. É uma política de drenagem em todo território, bem distribuída, com preservação de áreas verdes, captação de água da chuva. Esse modelo é o que pode dar resultado e não vai dar lucro para as grandes empreiteiras. Aposta na preservação socioambiental e respeita as águas. Outra questão é que precisamos de um planejamento que pense na bacia hidrográfica, porque o limite das águas não respeita o limite do município. O município agride a dinâmica natural das águas. Precisamos ter uma relação com toda a região metropolitana nesse pensamento de como proteger as águas, cuidar das nascentes, ter um processo de recuperação ambiental”, disse.

Apoio popular e geração de emprego

A candidata do PSOL diz que planeja integrar a comunidade no trabalho de preservação socioambiental e redução do impacto das chuvas. Ela afirma que as pessoas que moram nas proximidades de nascentes, rio e córregos devem ser parceiras do Município neste trabalho, que pode inclusive, gerar emprego e renda.

“Com apoio a cuidadores socioambientais, a gente tem uma politica para geração de emprego e renda para essas pessoas que já fazem um trabalho tão importante de maneira voluntaria, às vezes com muito sacrifício. Pessoas que moram perto de córregos, de nascentes, que cuidam de pomares, hortas. Essas pessoas precisam ser parceiras e apoiadas pela PBH, para termos essa proteção socioambiental. Isso vai melhorar nossa relação com as águas e reduzir o impacto da cidade nesse problema planetário que é a emergência climática.

Ela completa: “A gente respeita a produção científica responsável, voltada para a melhoria das condições sociais e econômicas da nossa cidade. Isso tem um efeito ambiental que não podemos subestimar. Cuidar da vida é também garantir que as pessoas que estão nesses espaços, que são os mais abandonados da cidade, onde não tem saneamento básico, moradia decente, para que elas possam ser aliadas na construção de uma saída para que BH seja um exemplo de proteção socioambiental no país”.


Eleições 2020: como votar, datas e horários

O primeiro turno das eleições 2020 será em 15 de novembro e, caso seja necessário no seu município, o segundo turno será realizado em 29 de novembro de 2020. Nestas eleições, o horário de votação vai das 7h às 17h. O horário entre 7h e 10h é preferencial para maiores de 60 anos.

Com as novas medidas diante da pandemia do coronavírus, preparamos um guia com tudo que você precisa saber para votar nas eleições 2020.

O que muda nas eleições 2020?

Muitas mudanças foram feitas pela Justiça Eleitoral para os candidatos a prefeito e vereador durante o período eleitoral de 2020. Além disso, os eleitores também terão de se adaptar às novas normas para os dias de votação, como a abertura antecipada das seções eleitorais e as regras de higiene determinadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  


Como justificar o voto nas eleições 2020?

Os eleitores poderão optar por justificar o voto de três formas: 
  • No dia das eleições: o eleitor que estiver fora de sua cidade pode justificar a ausência em qualquer local de votação, das 7h às 17h. O eleitor deverá ter o número do título, um documento oficial de identificação e o formulário de justificativa preenchido.

  • Depois das eleições: preenchendo o formulário de justificativa em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor em até 60 dias após a votação.

  • A justificativa também poderá ser feita no aplicativo e-Título.

Eleições 2020 em Belo Horizonte

Na capital mineira, 15 candidatos disputam as eleições para prefeito. Conheça quem são os candidatos e o perfil de cada um deles na corrida rumo à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH). 

Já para vereador, Belo Horizonte conta com mais de 1,5 mil candidatos. Alguns apostaram em apelidos e codinomes bem inusitados para conseguir votos.



Para acompanhar a cobertura completa das eleições em BH, acesse nosso especial

Para saber mais sobre as Eleições 2020 em Minas Gerais, leia também a cobertura completa das eleições na Grande BH e nas regiões Centro-OesteLesteNorteSul de MinasTriângulo Mineiro e Zona da Mata.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade