Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Indicação de candidata a vice-prefeita em Valadares termina em confusão

Membros do PL e outros partidos foram para a porta do escritório parlamentar do Deputado Federal Leonardo Monteiro (PT) denunciar 'politicagem' em patrimônio público


24/09/2020 17:35 - atualizado 24/09/2020 18:16

A Polícia Militar acompanhou a movimentação das pessoas que entrava e saiam do escritório parlamentar do Deputado Federal Leonardo Monteiro(foto: Redes Sociais/Reprodução)
A Polícia Militar acompanhou a movimentação das pessoas que entrava e saiam do escritório parlamentar do Deputado Federal Leonardo Monteiro (foto: Redes Sociais/Reprodução)
Por pouco não terminou em agressão física a reunião que definiu o nome da advogada Maria de Fátima Silva (PL) como candidata a vice-prefeita da “Frente Por Amor a Valadares”, formada por cinco partidos (PT, PL, PC do B, Avante e Rede), em Governador Valadares. Um dos integrantes do grupo que ficou do lado de fora, cujo porta-voz era o vice-presidente da Câmara Municipal de Governador Valadares, Marcion Ferreira da Silva (PL), partiu pra cima da advogada quando ela deixava o escritório parlamentar do Deputado Federal Leonardo Monteiro (PT), candidato a prefeito. Teve empurra-empurra e ânimos exaltados. Tudo registrado em vídeo, com transmissão ao vivo pela rede social do vereador Marcion.

Antes da tentativa de agressão, o clima esteve quente. Na “live” do vereador, ele explicou o motivo da insatisfação do grupo. Disse que o Deputado Federal usava um patrimônio público (o seu escritório parlamentar) para fazer politicagem, oferecendo vantagens à advogada, para ela ser candidata a vice-prefeita, sem que ele e outros membros do PL participassem da reunião. Assista:
 

A Polícia Militar foi chamada, e o vereador Marcion, disse que, com a chegada da força policial, mostraria a cara de todos que estavam dentro do escritório. A polícia apenas acompanhou a movimentação do lado de fora, em citar as pessoas que estavam na reunião.

A comissão provisória do Partido Liberal em Governador Valadares emitiu nota repudiando “os atos caluniosos e inverídicos feitos pelo vereador Marcion, do próprio partido”. A nota esclareceu que “é de conhecimento público as definições do PL nacional e estadual que definiram os caminhos políticos e a condução do processo e da montagem da nossa coligação com PT, PCdoB, REDE, Avante e PL, mas o vereador em questão insiste em não respeitar as decisões do seu próprio partido”.

A direção do PL em Governador Valadares, qualificou as acusações do vereador como “discurso agressivo, desmedido, injurioso e calunioso, feito pelo parlamentar em vídeos e áudios, e informa que o mesmo terá que se explicar e provar na justiça as calúnias e difamações que tem feito contra os membros do nosso partido e dos partidos coligados”. 

Agressões


A “Frente por Amor por Valadares” também emitiu nota, explicando o candidato Leonardo Monteiro foi “vítima de agressões caluniosas e sofreu graves ameaças de um pequeno grupo liderado pelo vereador do PL, Marcion, que já havia se manifestado de forma agressiva, anteriormente, inconformado pelas decisões do seu próprio partido, que rejeitou sua candidatura a prefeito”. 

Explicou que o grupo era composto também por integrantes de outras facções partidárias, “que têm na agressividade, violência e intimidação o modus operandi do seu fazer político”. A frente partidária explicou também que, por esse motivo, acionou a Polícias Militar e Polícia Federal para que fosse registrada a ocorrência.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade