Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Ipatinga: testes rápidos da COVID-19 serão feitos nas 21 UBS da cidade

Procedimento será adotado a partir de 1º de outubro, cumprindo a nota técnica do governo estadual, testando pacientes suspeitos a partir do 14º dia de sintomas da COVID-19


23/09/2020 18:40 - atualizado 23/09/2020 19:47

Os testes rápidos são feitos com a coleta de sangue no dedo do paciente(foto: PMI/Divulgação)
Os testes rápidos são feitos com a coleta de sangue no dedo do paciente (foto: PMI/Divulgação)

As 21 Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Ipatinga vão testar todas as pessoas com sintomas da COVID-19, a partir de 1º de outubro. A pessoa que apresentar sinais da doença deve procurar uma UBS de referência e, se for diagnosticado pelo médico como suspeito de ter contraído a doença, terá o exame agendado para ser realizado a partir do 14º dia de início dos sintomas, conforme determina a nota técnica 07/2000 do Governo do Estado.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde em Ipatinga, Mara Fernanda Andrade, disse que a alteração do período recomendado para aplicação do teste foi feita com base em estudos de resultados e validação dos exames. 

“Anteriormente, a orientação do estado para aplicação dos testes rápidos era de que os exames fossem realizados no período de 8 a 14 dias após os primeiros sintomas. Agora, após um estudo conduzido pela Secretaria Estadual de Saúde, em parceria com a Fiocruz, a nota enviada orienta a mudança, e o município está se adequando à nova realidade”, explicou. 

Além do teste rápido, o município de Ipatinga também adotou, desde o início do mês de agosto, a realização do exame RT-PCR em domicílio, para pessoas acima de 50 anos que possuam alguma comorbidade e que estejam entre o 3° e 7° dia de sintomas da COVID-19. 

A partir de 1º de outubro, o procedimento também será realizado na própria UBS para os pacientes notificados com suspeita da doença e que forem indicados pelo médico. Além de idosos e pacientes com comorbidades, a nova nota técnica do estado também indica a realização do RT-PCR em todos os casos de suspeitos hospitalizados, óbitos suspeitos, profissionais da saúde e da segurança pública sintomáticos, assim como profissionais de serviços essenciais que apresentem sintomas da doença.
  
O RT-PCR é aquele procedimento em que é feita a coleta de material do nariz do paciente, por meio de uma espécie de cotonete. Nesse caso, a conclusão sobre o teste é liberada após cinco dias e o contato para saber o resultado do exame é feito pela Unidade de Saúde de referência do paciente, explicam as autoridades sanitárias do município. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade