Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Com ressalvas, Ministério Público de Contas aprova gastos do Governo de Minas em 2019

Órgão identificou mais de 10 vícios cometidos por parte da gestão do governador Romeu Zema


16/09/2020 15:13 - atualizado 16/09/2020 16:01

Relatório será agora avaliado pelo Tribunal de Contas do Estado(foto: Gil Leonardi/Governo de Minas)
Relatório será agora avaliado pelo Tribunal de Contas do Estado (foto: Gil Leonardi/Governo de Minas)
O Ministério Público de Contas (MPC) do Estado de Minas Gerais aprovou, com ressalvas, os gastos do governo estadual em 2019. Segundo o órgão, que trabalha de forma dissociada aos Ministérios Públicos da União e de Minas Gerais, há 11 vícios cometidos pela gestão do governador Romeu Zema (Novo) no ano passado, o primeiro do governante na vida política.

Entre as pontuações feitas pelo MPC está o gasto em excesso com funcionalismo público (passou em 9,4% o limite de 48,7%). Em outros “vícios”, observa-se a falta de empenho em setores como saúde (usou 8,93% dos 12% previstos) e educação (do mínimo de 25% estabelecido, usou 19,8%).

A verba analisada para empenho parte da Receita Corrente Líquida (RCL) do Estado.

Procurado pela reportagem, o Governo de Minas ainda não se manifestou sobre o parecer do MPC.

Agora, o relatório será analisado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Posteriormente, ele será enviado à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade