Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

PSDB lança Luisa Barreto, ex-governo Zema, na corrida à Prefeitura de BH

Juvenal Araújo, o vice, foi secretário de temas ligados à igualdade racial durante o governo Temer


16/09/2020 15:04 - atualizado 16/09/2020 17:29

Luisa Barreto será candidata à Prefeitura de BH pela primeira vez(foto: Juarez Rodrigues/EM/D. A. Press)
Luisa Barreto será candidata à Prefeitura de BH pela primeira vez (foto: Juarez Rodrigues/EM/D. A. Press)
O PSDB oficializou, na tarde desta quarta-feira, a candidatura de Luisa Barreto a prefeita de Belo Horizonte. Ex-secretária-adjunta de Planejamento e Gestão do governo de Romeu Zema (Novo), ela deixou o Executivo estadual para disputar a eleição deste ano.

O vice de Luisa é Juvenal Araújo, um dos fundadores do Tucanafro, braço da legenda voltado à discussão de temas ligados ao povo negro. Ele foi secretário de Promoção da Igualdade Racial durante a administração do ex-presidente Michel Temer (MDB). Para compor a chapa, deixou cargo no governo do Distrito Federal.

Luisa elencou mobilidade urbana, educação e economia como pontos primordiais do plano de governo. A tucana pretende atacar, sobretudo, os problemas gerados pela pandemia do novo coronavírus.

"Belo Horizonte precisa, especialmente neste momento, de uma vitalidade econômica que a cidade não tem. Trabalharemos muito para melhorar a vida de empregados e empregadores. Vamos fazer isso com muita simplificação e redução da burocracia", pontuou, em entrevista coletiva.

Chapa 'puro-sangue'

 
O PSDB entra na disputa sem ter firmado alianças. Luisa, por seu turno, aposta na construção do que ela chamou de "cidade colaborativa", com intensa participação popular.

"A gente pretende ampliar muito os mecanismos participativos para que as pessoas possam opinar não só sobre uma alocação de orçamento, mas sobre a execução de todas as políticas e serviços públicos da cidade", disse.

Com críticas indiretas ao prefeito Alexandre Kalil (PSD), Luisa chegou a afirmar que BH está "abandonada" e "parada no tempo".

Em seu discurso, o presidente estadual do partido, Paulo Abi Ackel, que é deputado federal, manifestou crença na chapa 'puro-sangue'' como boa oportunidade de propagandear os ideais tucanos.

"A defesa da social-democracia é uma de nossas metas para essa eleição. Por isso, viemos com uma candidatura inteiramente social-democrata".

O evento marcou, ainda, o lançamento da chapa que tentará ocupar cadeiras na Câmara Municipal. São 43 homens e 19 mulheres.

Estiveram presentes figuras importantes da legenda em Minas Gerais, como os deputados estaduais Gustavo Valadares e João Leite (derrotado por Kalil em 2016), além dos deputados federais Eduardo Barbosa e Domingos Sávio.

Corrida à PBH em 2020

 
14 candidatos confirmados

Marcelo Souza e Silva (Patriota)
Áurea Carolina (Psol)
Rodrigo Paiva (Novo)
Fabiano Cazeca (Pros)
Nilmário Miranda (PT)
Professor Wendel Mesquita (Solidariedade)
Alexandre Kalil (PSD)
Igor Timo (Podemos)
Wanderson Rocha (PSTU)
Lafayette Andrada (Republicanos) 
Marilia Domingues (PCO)
Bruno Engler (PRTB)
Cabo Washington Xavier (PMB)
Luisa Barreto (PSDB)  

3 ainda pré-candidatos:

João Vítor Xavier (Cidadania)
Wadson Ribeiro (PCdoB) 
Fernando Borja (Avante)

Prazos eleitorais:


31 de agosto a 16 de setembro: realização das convenções partidárias para definição de coligações e escolha dos candidatos. As convenções podem ocorrer por meio virtual.

31 de agosto a 26 de setembro: período para o registro de candidaturas. Início do prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e emissoras de rádio e TV para elaboração do plano de mídia.

27 de setembro: início da propaganda eleitoral, inclusive na internet

15 de novembro: 1º turno das eleições

29 de novembro: 2º turno das eleições

15 de dezembro: último dia para entrega das prestações de contas

18 de dezembro: prazo final para diplomação dos eleitos


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade