Publicidade

Estado de Minas

Pedido de impeachment do prefeito de Ribeirão das Neves é protocolado na Câmara

Documento, de autoria de quatro moradores da cidade e encabeçado por empresário, foi apresentado também ao Ministério Público


postado em 26/11/2019 15:25 / atualizado em 26/11/2019 16:37

Uso de servidores para serviços pessoais e superfaturamento de aluguel embasam denúncia contra Junynho Martins(foto: Reprodução/Facebook Junynho Martins)
Uso de servidores para serviços pessoais e superfaturamento de aluguel embasam denúncia contra Junynho Martins (foto: Reprodução/Facebook Junynho Martins)
Moradores de Ribeirão das Neves apresentaram, na manhã desta terça-feira, pedido de impeachment do prefeito Junynho Martins (PSC) ao Ministério Público e à Câmara Municipal da cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte. O pedido já foi protocolado no Legislativo municipal e encaminhado ao gabinete do presidente, o vereador Léo de Areias (Avante).
 
A denúncia foi elaborada por quatro moradores da cidade sob a assistência do advogado Marley Marra, autor de pedidos de cassação de outros políticos (o mais recente do vereador belo-horizontino Wellington Magalhães - DC -, cassado na última sexta-feira). A ação foi encabeçada pelo empresário Diogo Fernandes, integrante do movimento RenovaBR.
 
Ao Estado de Minas, Diogo explicou que três pontos embasaram a denúncia: uso de servidores para serviços pessoais por duas vezes e superfaturamento de aluguel. “Nosso documento tem provas, fundamenta-se em pilares. Um deles é uma denúncia do MP sobre uso de servidores para fim privado, quando 25 guardas civis foram alocados para um evento particular de uma colaboradora de campanha”.
 
“Depois, teve superfaturamento de aluguel, ontem hoje funciona a Secretaria de Esporte e Lazer. Comprovamos que outro local atenderia melhor, mas decidiu por um ponto onde o dono era parente do prefeito”, citou como segunda prerrogativa.
 
Por fim, Diogo explicou um terceiro motivo. “Um servidor que trabalha no gabinete foi parado em uma blitz e se constatou que ele estava com dinheiro e insumos para fazenda. Quando foi identificado, informou que levaria o material à fazenda do prefeito. O prefeito certificou isso, ligaram para ele, e ele confirmou que se tratava de um servidor, em dia e horário de serviço público.”
 
O documento trata os fatos como infrações político-administrativas graves, cabíveis de sanção da Câmara. A reportagem entrou em contato com a presidência da Casa, que disse que o documento ainda será despachado. A Procuradoria ainda analisa um prazo para se colocar o recebimento da denúncia em votação no plenário.
 
O Estado de Minas também procurou o prefeito de Ribeirão das Neves. A prefeitura informou que ainda não tem conhecimento do conteúdo da denúncia e que, posteriormente à apuração da Câmara, uma comissão será formada, e o Secretário de Governo irá se manifestar sobre o assunto. O Executivo também trata o pedido como "ato de iniciativa eleitoreira" e alega que não existe nenhuma investigação contra Junynho Martins.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade