UAI
Publicidade

Estado de Minas

'Estamos tendo um governo patriota', diz Zema sobre Bolsonaro

Governador participou da assinatura. no BDMG, de um acordo para viabilizar um fundo chinês para levar saneamento aos municípios


postado em 07/11/2019 12:39 / atualizado em 07/11/2019 13:20

Zema participou de reunião preparatória para o encontro dos Brics no Brasil, na sede do BDMG(foto: Edésio Ferreira / EM / D.A.Press)
Zema participou de reunião preparatória para o encontro dos Brics no Brasil, na sede do BDMG (foto: Edésio Ferreira / EM / D.A.Press)


O governador Romeu Zema (Novo) afirmou nesta quinta-feira (7) que o Brasil viveu anos de uma “democracia irresponsável” mas teve esse ciclo encerrado com o novo governo, do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ao participar, na sede do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), de reunião preparatória para o encontro dos Brics – que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – ele afirmou estar orgulhoso de participar desta mudança.

“Estamos tendo um governo patriota, que está olhando os interesses da nação acima de alguns grupos, e compartilho dessa visão”, afirmou.

Zema disse que o Brasil teve o pior desempenho do grupo dos Brics nos últimos cinco anos, o que chamou de um “desastre fabricado” pelas instituições políticas.

“Se de 1964 a 1985 tivemos aqui um regime que alguns chamam de militar, de ditadura, não vem ao caso, eu diria que de 1988, quando a Constituição foi promulgada, até 2018 tivemos algo que chamo de democracia irresponsável, onde quem estava no poder esqueceu estava representar o povo e passou a representar alguns grupos que fizeram uso do estado”, avaliou.

Apelo por ajuste


O governador voltou a pedir que os empresários ajudem a pressionar os parlamentares pela aprovação da adesão de Minas ao programa de recuperação fiscal do governo federal. Mais uma vez, ele citou a Cemig, que disse estar atrapalhando a operação de empresas no estado por não funcionar como deveria, e defendeu sua privatização.

Segundo ele, a Usiminas teve de parar de produzir em Ipatinga nesta quarta-feira por queda de luz. “No mundo há excesso de liquidez, muitos recursos a serem aplicados aqui, grandes oportunidades serem investidas e infelizmente parte população e os deputados com essa visão que o estado tem que ser dono, e um estado falido, que faz incidentes como o de ontem acontecerem”, afirmou.

Fundo para saneamento


Zema participou da assinatura de um protocolo para viabilizar um fundo que vai investir, a partir de Minas Gerais, US$ 1 bilhão em saneamento nos municípios. Quem vai aportar os recursos são as empresas ONE Comprador LLC e Comprador Limited, que irão usar negócios e recursos chineses para os investimentos em infraestrutura.

O Fundo de Impacto Social Brasil-China será lançado no início de 2020 e vai oferecer sistemas de tratamento de águas residuais via empresas chinesas. Apesar de ter sede em Belo Horizonte, o projeto vai servir a outros estados.

O CEO da ONE Comprador Rodrigo Veloso afirmou acreditar que os recursos poderão ser investidos em um prazo de seis a oito meses. “Não é exclusivo para Minas mas nossa intenção é investir o máximo possível no estado”, disse.

Segundo o empresário, é a primeira vez que um grupo de empresas chinesas traz um projeto de investimento em saneamento na América Latina. Ele adiantou que sua empresa lançará um escritório em Belo Horizonte até o fim deste ano.

No encontro preparatório para a reunião dos Brics, os presidentes do BDMG, Sérgio Gusmão, e da Fiemg, Flávio Roscoe, defenderam a importância dos países para o comércio brasileiro e mineiro. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade