Publicidade

Estado de Minas

Governo de Minas diz que volta a pagar no 5º dia útil se concluir 'operação financeira'

Pagamento do 13º salário também deve ocorrer em 21 de dezembro se a negociação prevista pela administração estadual for concretizada


postado em 19/08/2019 19:22 / atualizado em 19/08/2019 20:07

(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)
(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A Press)

O governo de Minas informou na noite desta segunda-feira que, a depender do sucesso de uma operação financeira em negociação, o salário de todos os servidores voltará a ser pago no 5º dia útil de cada mês, a partir de dezembro de 2019, e o pagamento integral do 13º salário será no dia 21 do mesmo mês. A administração estadual, No entanto, não deu detalhes do que se trata a negociação financeira. Informou apenas que isso será feito “em momento oportuno”.


A boa notícia, porém, pode sofrer um revés, caso a estratégia financeira pensada pelo governo estadual não dê certo. Neste caso, os servidores da segurança pública passam a ter prioridade de pagamento e a escala passa a funcionar da seguinte maneira: em dezembro, o pagamento ocorre no 10º dia útil em parcela única. De janeiro a abril, o pagamento passa a ser feito no 7º dia útil e, a partir de maio, o pagamento volta a ser feito no 5º dia útil.


Sobre as outras categorias, o governo de Romeu Zema não informou como vai funcionar a escala, caso não seja concretizada a operação financeira.

Ainda de acordo com o governo de Minas a possibilidade de escala de pagamento funcionando até o 5º dia útil foi fruto de “diálogo com parlamentares e dirigentes de entidades representativas das forças de segurança”. Apesar do horizonte de esperança, o governo de Romeu Zema informou que a recomposição das perdas salários não faz parte da possibilidade atual.

“Em relação à recomposição de perdas salariais inflacionárias, o Governo do Estado reconhece a existência das mesmas e a legitimidade do pleito. O Governo se compromete a manter diálogo permanente com as representações dos servidores visando seu atendimento, considerando a atual realidade financeira de Minas Gerais e o Programa de Recuperação Fiscal do Estado”, esclareceu por nota.

Em relação ao assunto, foi criado para os próximos meses um cronograma de reuniões. A primeira delas ocorrerá em 16 de setembro.  


Pressão

Durante a tarde desta segunda-feira, representantes das forças de segurança pública se reuniram por mais de três horas com os secretários de Planejamento e Gestão Otto Levy e de Governo, Custódio Mattos. Além dos comandantes-gerais da Polícia Militar, cel. Giovanne Gomes da Silva, do Corpo de Bombeiros, cel. Edgard Estevo da Silva, e o chefe da Polícia Civil, Wagner Pinto.

Em um primeiro encontro na semana passada, no qual anunciaram a intenção de fazer manifestação na Cidade Administrativa na quinta-feira, os dois haviam se comprometido a discutir com o governador Romeu Zema (Novo) uma resposta sobre o pagamento do 13º salário deste ano e sobre a volta do pagamento do salário no quinto dia útil.

Desde o governo passado, os profissionais da segurança pública recebem em escala de pagamento diferente das demais categorias. A primeira parcela do salário deles é de R$ 3 mil. Já para a maior parte do funcionalismo são R$ 2 mil.


 

No início deste ano, após fazerem manifestação na cidade administrativa, os policiais e demais profissionais da segurança conseguiram ter a escala do décimo terceiro pendente de 2018 abreviada. Eles tiveram o benefício quitado em maio.  



Publicidade