Publicidade

Estado de Minas

Presidente do partido de Bolsonaro em Minas chama Zema de ''oportunista''

O deputado federal Marcelo Álvaro Antônio pediu respeito com eleitores de Bolsonaro e reprovou críticas que Zema fez ao presidenciável


postado em 27/10/2018 22:08 / atualizado em 28/10/2018 15:13

Presidente do PSL em Minas, Marcelo Álvaro Antônio afirma também que Zema só foi para o segundo turno por causa de eleitores de Bolsonaro(foto: Reprodução/Vídeo)
Presidente do PSL em Minas, Marcelo Álvaro Antônio afirma também que Zema só foi para o segundo turno por causa de eleitores de Bolsonaro (foto: Reprodução/Vídeo)

O presidente do PSL em Minas, Marcelo Álvaro Antônio, deputado federal reeleito, criticou o candidato ao governo do estado Romeu Zema (Novo) e disse para o empresário “não ser oportunista” com eleitores de Jair Bolsonaro.

Num vídeo divulgado nas redes sociais, Álvaro Antônio reprovou declaração de Zema, numa entrevista à Rádio Itatiaia na sexta-feira, em que o candidato do Novo tratou as posições de Bolsonaro “um tanto quanto extremistas”.

“Na hora de pedir votos aos eleitores do Bolsonaro, que o colocou no segundo turno, é Bolsozema. E, ontem (sexta-feira), numa entrevista à Rádio Itatiaia, você chama Bolsonaro de extremista, machista e intolerante? Olha só, Zema, tenha mais respeito com os eleitores de Jair Bolsonaro aqui no nosso estado. Não seja oportunista, ok?”, disse.

O deputado reforçou que o partido optou pela neutralidade na disputa em Minas, mas que ele decidiu “mandar um recado para o Zema”. De forma reiterada, Zema tem associado sua imagem à de Bolsonaro.

No debate da TV Globo no primeiro turno, ele mencionou como opções para a Presidência os nomes de João Amôedo, candidato de seu partido, e de Bolsonaro. Também foi votar com a camisa da seleção brasileira, frequentemente associada à campanha de Bolsonaro. Além disso, nesta semana, gravou vídeo sugerindo a dobradinha “Bolsozema” nas urnas.

Em entrevista na sexta-feira à Rádio Itatiaia, entretanto, questionado sobre quais divergências teria em relação ao candidato do PSL, Zema disse que algumas posições de Bolsonaro “parecem um tanto quanto extremistas”.

“Sou uma pessoa que sempre fui tolerante. Na minha empresa temos pessoas de todo tipo. Nunca tivemos discriminação com ninguém e parece até que, mesmo que no programa (de governo de Bolsonaro) não tenha, ele tem essa imagem. Então não concordo muito com a postura dele de considerar determinados tipos de pessoas talvez melhores ou piores. Vai muito nesta questão a minha falta de sintonia”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade