Publicidade

Estado de Minas

Anastasia não vai declarar apoio no segundo turno, mas é contra PT

''Reitero minha firma posição política contrária ao PT. Meu voto pessoal será mantido reservado'', afirmou o candidato ao governo de Minas


postado em 10/10/2018 16:14 / atualizado em 10/10/2018 16:18

O candidato ao governo de Minas Gerais Antonio Anastasia (PSDB)(foto: Marcos Vieira/EM )
O candidato ao governo de Minas Gerais Antonio Anastasia (PSDB) (foto: Marcos Vieira/EM )
O candidato ao governo de Minas Antonio Anastasia (PSDB) afirmou, pelo Facebook, que não declarará apoio a nenhum candidato à Presidência. “Meu voto pessoal será mantido reservado”, disse. O tucano não está em campanha nos últimos dias por causa de sua atuação no Senado e afirmou que as lideranças que apoiam a candidatura do PSDB em Minas terão liberdade para se pronunciar a respeito da corrida presidencial. 

Apesar disso, Anastasia reafirma ser contra a candidatura de Fernando Haddad (PT). “Reitero minha firme posição política contrária ao PT, por causa dos males causados pelos governos petistas no Brasil e em Minas Gerais”, disse. 

Ainda, o tucano explica que a direção nacional do PSDB decidiu liberar os diretórios “em face das circunstâncias estaduais” para que pudessem manifestar voto no segundo turno à Presidência. 

Anastasia declara que vai dialogar com qualquer presidente eleito. “Como sempre fiz ao longo da minha história, vou trabalhar muito por Minas Gerais e terei uma relação institucional e respeitosa com o próximo presidente da República, defendendo sempre os interesses da nossa gente”, afirmou.


Vice


No fim de setembro, o vice de Anastasia, Marcos Montes (PSD), afirmou que é preciso “dar as mãos” à candidatura de Jair Bolsonaro. Em vídeo que circulou nas redes sociais, o político disse que o movimento era necessário por causa da estagnação da candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB), que chegou ao fim do primeiro turno com 4% dos votos válidos. "A partir do momento que eu e o Anastasia acharmos que o candidato Alckmin não vai ao segundo turno, nós precisamos dar a mãos ao Bolsonaro", disse Montes. No dia seguinte, Anastasia reafirmou que o seu candidato era Alckmin.
 
*Estagiário sob supervisão do editor Renato Scapolatempore 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade