Publicidade

Estado de Minas

'Proposta de Temer significa perda de R$ 40 milhões por mês para Minas', diz Pimentel

Segundo governador, prejuízo mensal aos cofres mineiros com medida do governo federal representa o valor gasto com transporte escolar


postado em 28/05/2018 18:18 / atualizado em 28/05/2018 18:31

(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
O governador Fernando Pimentel (PT) afirmou, nesta segunda-feira (28), em pronunciamento no Palácio da Liberdade, que a concessão feita pelo presidente Michel Temer (MDB) para atender demandas dos caminhoneiros vai gerar um cancelamento de repasses de cerca de R$ 40 milhões mensais para o governo estadual.

Pimentel criticou a política de preços adotada pela Petrobras e disse que os governos estaduais não podem ser sacrificados por uma crise que começou por erros do Palácio do Planalto.

“A recente proposta do governo federal, que incluiu o zeramento da Cide e PIS/Cofins, vai significar uma perda de R$ 40 milhões mensais na receita do estado. Para se ter uma ideia isso é o que custa o transporte escolar todos os meses em Minas. É um golpe grande na receita do estado essa concessão que o governo federal está fazendo como chapéu do estado para atender demandas dos caminhoneiros”, afirmou Pimentel.

Após reunião com representantes de várias instâncias de poder de Minas e com o gabinete de crise (grupo formado para discutir ações contra o desabastecimento), o governador prorrogou o ponto facultativo no estado e afirmou que o governo estadual continua priorizando o abastecimento dos serviços essenciais na capital e no interior.

 O governador avaliou que a situação está “razoavelmente” controlada em Minas, mas se mostrou preocupado caso a paralisação dos caminhoneiros continue nos próximos dias.

“Em Minas Gerais a situação está razoavelmente estabilizada, mas isso não quer dizer que estamos tranquilos em relação a esse momento. Existe preocupação porque se a crise se prolongar podemos ter problemas mais graves do que temos até o momento”, avaliou Pimentel.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade