Publicidade

Estado de Minas

Adalclever coloca nome à disposição para concorrer ao governo de Minas pelo MDB

Os deputados estaduais aprovaram o adiamento das prévias do partido e colocaram que, em caso de candidatura própria, o deputado vai disputar


postado em 08/02/2018 15:17 / atualizado em 08/02/2018 19:14

O deputado Adalclever Lopes também é cotado para vice de Pimentel(foto: Guilherme Bergamini )
O deputado Adalclever Lopes também é cotado para vice de Pimentel (foto: Guilherme Bergamini )

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Adalclever Lopes, colocou nesta quinta-feira (8) o seu nome para disputar as prévias, caso o partido opte por uma candidatura própria do MDB ao governo de Minas. Cotado para sair como vice-governador ao lado do governador Fernando Pimentel (PT), ele decidiu atender a uma solicitação dos colegas de bancada ao se apresentar para disputar a cadeira de titular do Palácio da Liberdade. Em reunião convocada pelos deputados estaduais do partido, foi aprovado o adiamento das prévias partidárias de março para maio.

Apesar de defender a manutenção da aliança com o governador Fernando Pimentel (PT), a bancada decidiu aderir às prévias para disputar com um nome de sua ala contra o grupo de oposição ao petista. Junto com isso, eles conseguiram adiar a disputa, que seria em 17 de março.

Nos bastidores, o adiamento faria parte de uma estratégia para tirar da jogada o deputado federal Rodrigo Pacheco, que vem se colocando como pré-candidato do MDB ao governo. Ocorre que em maio ele já precisa estar na legenda pela qual vai disputar o Palácio e, se não tiver garantias dentro do MDB, já sinalizou que pode mudar de partido.

O deputado Vanderlei Miranda confirmou o desejo da bancada de manter a aliança com o PT, mas reforçou que a convenção é soberana para decidir o futuro eleitoral da legenda. “O Adalclever Lopes colocou o seu nome à disposição para disputar a convenção, sendo aprovada a candidatura própria nas prévias”, explicou.

O líder da bancada do MDB na Assembleia, deputado Tadeuzinho Leite, não relacionou a reunião para adiar as prévias com Pacheco, mas disse que a data posterior é para dar mais certeza de quem estará de fato filiado. “Tem uma brecha das filiações, para a troca de partidos, e em maio poderemos ter um quadro diferente de filiados que podem disputar. Temos e aguardar a janela partidária para saber quem vai ficar e até quem vai entrar no partido”, disse.

Segundo o parlamentar, outro motivo é que há poucos diretórios municipais publicados até o momento. São cerca de 100 para uma proporção de 853 municípios no estado.

Tadeuzinho Leite disse que Adalclever aceitou concorrer às prévias por indicação dos colegas deputados estaduais, mas lembrou que há outros nomes possíveis. Além de Rodrigo Pacheco, que vem trabalhando a pré-candidatura publicamente, o empresário Josué Alencar, filho do ex-presidente José Alencar, também é cotado para disputar o governo.

O líder da bancada disse que não houve mudança no posicionamento dos deputados estaduais. “A bancada continua apoiando e participando do governo Pimentel, mas se o partido quer vamos discutir as prévias. A convenção vai decidir”, disse Leite.

Manifesto


Inimigo declarado do petista, Andrade conseguiu no último domingo a adesão de 53 coordenadores regionais do partido a um manifesto em defesa da candidatura própria. Em janeiro, a direção estadual do MDB havia divulgado nota descartando a possibilidade de manter a aliança com o PT.

Em entrevistas recentes, Rodrigo Pacheco confirmou ter sido convidado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, a ingressar nas fileiras do DEM para disputar o governo de Minas. O emedebista afirmou que pretende colocar seu nome como uma candidatura independente. Pacheco, porém, tem participado de reuniões com o grupo do senador Aécio Neves (PSDB), que o coloca como alternativa para concorrer ao governo do estado.

A reunião da Executiva foi convocada pela maioria dos membros e não pelo presidente Antônio Andrade, que não compareceu. Segundo Tadeuzinho Leite, a ausência dele foi motivada por algum motivo particular e a reunião foi presidida pelo vice-presidente do partido, deputado federal Newton Cardoso Jr. Leite garante que mesmo com a ausência do principal dirigente a reunião é válida. “O regimento garante”, diz.

 

Vice-governador critica alteração

 

Por meio de nota, o vice-governador Antonio Andrade afirmou que "a decisão tomada durante a reunião da Executiva Estadual do MDB, sobre alteração da data da realização das prévias do partido, é totalmente nula".

Segundo ele, "a competência de deliberar sobre a convocação e reunião de diretório, inlcusive para pautá-lo referente à convocação de prévias, é única e exclusiva do presidente, conforme estatuto do MDB". 

 

"Sendo assim, as prévias do dia 17 de março, que definirão se o partido terá candidatura própria, serão deliberadas pelo diretório estadual no dia 19 de fevereiro", diz a nota de Andrade. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade