Publicidade

Estado de Minas

Membros da Executiva do MDB cobram explicações sobre contas de Andrade

Segundo o grupo, a apresentação dos dados relativos aos anos de 2016 e 2017 do Diretório Estadual foi 'genérica'


postado em 01/02/2018 12:54 / atualizado em 01/02/2018 13:15

Um dos questionamentos foi sobre os gastos de campanha com Rodrigo Pacheco(foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)
Um dos questionamentos foi sobre os gastos de campanha com Rodrigo Pacheco (foto: Jair Amaral / EM / D.A. Press)

Em mais um episódio da briga interna do MDB, representantes da Executiva estadual do partido apresentaram nesta quinta-feira (1) um requerimento para que o vice-governador e presidente da agremiação Antônio Andrade esclareça as contas da legenda. Em nota, o grupo pediu que as despesas sejam “devidamente detalhadas e comprovadas”.

Os responsáveis pelo pedido são o ex-prefeito Ângelo Tadeu, o deputado federal Newton Cardoso Junior, e os deputados estaduais Adalclever Lopes, Cabo Júlio, Celise Laviola, Ivair Nogueira, João Magalhães, Sávio Souza Cruz, Tadeu Leite e Vanderlei Miranda. Eles alegam que a prestação de contas da gestão 2016/2017 do diretório estadual continha “informação genérica e pouco esclarecedora”.

Além do presidente Antônio Andrade, eles pedem esclarecimentos ao tesoureiro-geral Geraldo Godoy. A bancada diz que já havia feito um pedido anterior, mas as informações prestadas não foram suficientes para esclarecer.
 
“Alguns gastos configuram-se como de completo desconhecimento dos signatários do novo requerimento. Entre esses gastos incluem-se variações injustificadas de gasto mensal com pessoal, despesas fixas, despesas extras, gastos com eventos, despesas com o pleito municipal específico de Belo Horizonte em 2016 e despesas com dívida de campanha do candidato Rodrigo Pacheco (que concorreu à Prefeitura de BH)”, dizem.

O grupo de representantes da Executiva pede que os valores sejam individualizados, com indicação de fornecedores de serviços e materiais, além da identificação dos principais beneficiários.  
 
No caso de eventos, os integrantes da Executiva pedem ainda os documentos que autorizam e justificam o pagamento de dívidas de campanha.
 
 “Em sua justificativa, os signatários do requerimento lembram que os recursos partidários são recursos públicos sujeitos não apenas ao controle da justiça eleitoral e ao interesse da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, mas também e principalmente ao conhecimento, à fiscalização e ao zelo dos órgãos internos do Partido”, informa a nota divulgada pelos emedebistas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade