Publicidade

Estado de Minas

Lideranças do MDB lançam manifesto por candidatura própria ao governo de Minas

Em janeiro, a direção do partido divulgou nota descartando a possibilidade de manter a aliança com o PT em 2018


postado em 03/02/2018 13:54 / atualizado em 03/02/2018 15:00

(foto: Assessoria de Imprensa MDB/Divulgação)
(foto: Assessoria de Imprensa MDB/Divulgação)

Lideranças do MDB em Minas Gerais assinaram neste sábado, em Belo Horizonte, manifesto pela candidatura própria ao Palácio da Liberdade em 2018. Participaram do encontro o vice-governador e presidente da legenda, Antônio Andrade, o deputado federal Rodrigo Pacheco e coordenadores das 53 regionais do partido.

Defensor da candidatura própria e cotado para disputar o governo de Minas em outubro, Pacheco afirmou que a candidatura própria é o desejo da base do partido. "'Este encontro do MDB hoje, com todos os coordenadores do estado, é absolutamente revelador daquilo que eu tenho pregado sempre, que é o anseio da base do partido das mais diferentes regiões pela candidatura própria.  Então, é uma verdadeira aclamação. Quase cem por cento desta militância deseja uma candidatura própria, responsável, e com proposito muito claro de recuperação do estado e de protagonismo de Minas Gerais no cenário nacional", afirmou.

Terceiro lugar na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte no ano passado, Pacheco sinalizou em outras ocasiões que se não conseguir viabilizar a candidatura pela própria legenda deve deixar o partido. O DEM já se movimentou para ter o parlamentar como candidato ao governo de Minas.

Briga interna

O manifesto assinado neste sábado foi entregue ao presidente da legenda e deve esquentar ainda mais a briga interna no partido. Parte da legenda integra a ala pró-governo e defende a manutenção da aliança com com PT de Fernando Pimentel. O partido ainda não definiu a data das prévias. 

Em janeiro, a direção da legenda divulgou nota descartando a possibilidade de manter a aliança com o PT. Atualmente o MDB faz parte da gestão petista com a indicação do vice-governador, Antônio Andrade – que já rompeu publicamente com o governador Fernando Pimentel (PT).


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade