Publicidade

Estado de Minas

Após reajuste para vereadores em BH, parlamentares de Divinópolis pedem aumento

População promete realizar manifestação na tarde desta quarta-feira


postado em 27/12/2011 07:20 / atualizado em 27/12/2011 08:41

Eleitores de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, a 120 quilômetros de BH, prometem movimentar a Câmara Municipal amanhã, no turno da tarde. Os manifestantes são contra o aumento de 58% no salário dos parlamentares para próxima legislatura. Com isso, o valor, que atualmente é de R$ 6.192, passaria para R$ 9.678. O projeto, que deveria ter sido votado no dia 22, pode novamente ser retirado da pauta. De acordo com a diretoria da Casa, ainda não há previsão de quando a votação acontecerá, mas está prevista uma reunião extraordinária, cuja data não foi divulgada, quando provavelmente o assunto será levado a plenário.

Seguindo os passos de Belo Horizonte, onde os vereadores aprovaram o reajuste dos próprios salários em 61,8%, e de Montes Claros, no Norte de Minas, onde foi aprovado reajuste de 46% para os 23 vereadores que assumirão mandato em janeiro de 2013, o presidente da Câmara de Divinópolis, Pastor Paulo César (PRB), entregou, há duas semanas, um pedido de estudo sobre a viabilidade de um possível aumento no subsídio. Os parlamentares foram comunicados em reunião secreta no plenário, após a sessão ordinária do dia. Antes de ser votado, o projeto foi encaminhado para receber os pareceres jurídico e financeiro.

Na Câmara, o assunto é tratado com cautela. Apenas o presidente da casa pode dar mais informações sobre o projeto, no entanto ele não foi localizado ontem durante todo dia. Nos corredores, o que se comenta é que, como o assunto se tornou polêmico na cidade, a pauta está sendo adiada. Na reunião da terça-feira, quando foi feita a leitura do projeto, o presidente chegou a justificar que estava cumprindo uma lei federal, já que o vereador deve receber de acordo com o tamanho e arrecadação do município.

O aumento representa um acréscimo mensal de mais de R$ 47 mil na folha de pagamento dos vereadores da Câmara Municipal – que em setembro já havia aprovado o aumentado no número de cadeiras de 13 para 17 para próxima legislatura. Com isso, o gasto com subsídio dos vereadores passaria de aproximadamente R$ 79 mil, para mais de R$ 127 mil.

O aposentado José Vítor de Almeida, de 79 anos, que vive com pouco mais que um salário mínimo, acredita que esse aumento significa um desrespeito com a população. “Eu respeito o trabalho dos vereadores, mas eles estão querendo muito. Salário alto demais para Divinópolis! Podem até ter um aumento. Eu concordo. Mas 58% é demais. Mesmo de bengala, eu pretendo sim estar nessa manifestação”, diz.

Estudante de direto, Márcia Assis de Oliveira, de 24 anos, não concorda com o projeto e também pretende ir à Câmara hoje, assistir “ao vivo e em cores” as explicações dos vereadores para esse aumento. “Vamos acompanhando. Se eles adiarem, a gente adia a manifestação também. Acho bobagem eles ficaram alterando a data. A população está de olho. Na data que for estaremos lá. Sempre. Hoje, amanhã, semana que vem.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade