UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Após surto de COVID, Ministro do Turismo admite rever normas para cruzeiros

Segundo ele, tudo está sendo feito dentro dos protocolos, 'mas ninguém estava contando com a Ômicron'


03/01/2022 18:03 - atualizado 03/01/2022 18:22

Navio de cruzeiro
Anvisa identificou aumento no número de casos de COVID-19 em algumas embarcações (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
O ministro do Turismo, Gilson Machado, afirmou que o governo está reavaliando as regras para embarque de cruzeiros no país e que a variante Ômicron mudou o cenário para a continuidade da temporada de viagens nos navios. 

 

 


Nesta manhã, o ministro se reuniu com representantes dos ministérios que assinam a portaria com as normas para a temporada de 2021/2022. A portaria interministerial nº 658 foi assinada pelas pastas de Saúde, Justiça, Infraestrutura e Casa Civil, em 5 de outubro de 2021.

“Está tudo sendo feito dentro dos protocolos, mas ninguém estava contando com a ômicron. Estamos reavaliando a portaria, quando ela foi editada não existia a variante. E hoje já é sabido que a maior parte dessas pessoas podem estar com a doença, mas muitos são assintomáticos”, afirmou Machado, em entrevista à CNN Brasil.

O setor aguardava uma retomada em 2022, mas embarcações têm registrado aumento no número de casos de COVID-19. Por isso, na sexta-feira (31/12), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ao Ministério da Saúde, a suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiros no país.

O ministro Gilson Machado viajou para o Recife, para discutir o problema com autoridades dos municípios que são diretamente impactados pela atividade de cruzeiros, como Maceió e Salvador.

Suspensão das operações até 21 de janeiro

 
Na tarde desta segunda-feira (3/1), as companhias de cruzeiros decidiram suspender suas operações no Brasil até 21 de janeiro. De acordo com a Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (CLIA), os cruzeiros que estão em navegação vão finalizar seus roteiros conforme previsto. 

"A atual temporada, após o término da suspensão, poderá ser cancelada na íntegra se não houver adequação e alinhamento entre todas as partes envolvidas para possibilitar a continuidade da operação", afirmou, em nota, a entidade.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que uma decisão a respeito da recomendação da Anvisa está sendo tratada sob a coordenação do gabinete civil da Presidência da República, pelos ministérios da Saúde, da Infraestrutura e da Justiça.

"Nós tínhamos uma portaria que oferecia segurança para realização dos cruzeiros e previa situações como essa, de ter casos de COVID. Ali já tinha toda a normativa", afirmou o ministro. 

"Se as companhias de cruzeiro estão fazendo isso (a suspensão das atividades), naturalmente que estão observando o que está escrito na portaria e a segurança de quem contrata esses passeios", completou Queiroga.
 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Jociane Morais 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade