UAI
Publicidade

Estado de Minas RECUO

COVID: Ministério da Saúde volta atrás e libera vacinação de adolescentes

Pasta concluiu que os benefícios da vacinação são maiores que eventuais riscos dos efeitos adversos


22/09/2021 22:05 - atualizado 22/09/2021 22:18

Vacinação em adolescentes sem comorbidades foi novamente liberada pelo Ministério da Saúde
Vacinação em adolescentes sem comorbidades foi novamente liberada pelo Ministério da Saúde (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
O Ministério da Saúde informou, nesta quarta-feira (22/9), que voltou a liberar a vacinação contra a COVID-19 em adolescentes sem comorbidades. A pasta havia suspendido a imunização no público citado na última quinta-feira (16/9).

De acordo com a pasta, a imunização dos adolescentes sem comorbidades será retomada, uma vez que os benefícios superam os eventuais riscos. A afirmação foi feita por Rodrigo Cruz, que substitui Marcelo Queiroga no comando da Saúde. Queiroga está em Nova York com COVID-19.

"Concluímos que os benefícios da vacinação de adolescentes são maiores do que eventuais riscos dos efeitos adversos, então vamos retomar a imunização deste grupo", disse Cruz.

Na semana passada, o Ministério da Saúde havia suspendido a vacinação em adolescentes sem comorbidades. Na época, Marcelo Queiroga disse que tinham “eventos adversos” a serem investigados. Horas depois, em uma transmissão ao vivo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que “levou seu sentimento” sobre o assunto para Queiroga, se referindo à suspensão.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por outro lado, seguiu recomendando a aplicação da Pfizer em adolescentes de 12 a 17 anos. Algumas capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, ignoraram a suspensão do Ministério da Saúde e seguiram imunizando o público citado.

O ministro Ricardo Lewandowski chegou a decidir, nessa terça-feira (21/9), que estados e municípios teriam autonomia para continuar vacinando adolescentes. A decisão foi fruto de uma ação movida por cinco partidos de oposição ao governo Bolsonaro.

Morte de adolescente


A morte de uma adolescente de 16 anos em São Bernardo do Campo chegou a ser investigada por órgãos de saúde. Isso porque o óbito aconteceu oito dias depois de a jovem ter tomado uma dose da vacina da Pfizer.

No entanto, a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo concluiu que a adolescente morreu por uma doença chamada de "Púrpura Trombótica Trombocitopênica" (PPT)", que é autoimune, rara e grave.

Representantes do Ministério da Saúde, da Anvisa e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) se reuniram e também confirmaram que a morte da jovem não tem relação com a vacina contra a COVID-19.

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade