Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Depois de lockdown, Araraquara não registra mortes nas últimas 24h

Trégua após 44 dias seguidos com registros de mortes já é efeito do lockdown na cidade do interior paulista


26/03/2021 16:46 - atualizado 26/03/2021 18:10

Lockdown de 10 dias foi adotado há um mês e trouxe resultados positivos para a cidade(foto: Divulgação/Prefeitura de Araraquara)
Lockdown de 10 dias foi adotado há um mês e trouxe resultados positivos para a cidade (foto: Divulgação/Prefeitura de Araraquara)
 
Após 44 dias seguidos com registros de mortes, o município de Araraquara, no interior de São Paulo, não registrou nenhuma morte em decorrência da COVID-19 nas últimas 24h, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta sexta-feira (26/3). 

Isso é consequência do lockdown adotado pela cidade para conter a situação crítica no sistema de saúde, que resultou em 113 mortes somente em janeiro e fevereiro deste ano, mais do que o total de mortes em 2020 (92 óbitos).
 
 
Segundo o prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), a cidade “fez o que a ciência diz que tem que fazer. Depois de um longo período, hoje Araraquara não registrou nenhum óbito. E depois de ter índice de contaminação de 53%, ontem (25/03)] tivemos 7% de positivação".

"Quero dizer que o isolamento social é uma medida dura. Só é tomada quando não há outro instrumento. Se ainda não temos celeridade na vacinação, o que nos resta é o isolamento social", acrescentou o prefeito. Durante a coletiva, foi anunciada a prorrogação da fase emergencial no estado até 11 de abril”, disse ao Jornal Cidade On.

O prefeito ainda disse que o lockdown foi essencial para a queda no número de mortes e na taxa de ocupação dos leitos. Agora, sem pressão no sistema de saúde, Araraquara tem recebido pacientes de cidades da região e de outros estados do Brasil.

“Estamos tirando a pressão sobre leitos. Hoje 57% dos pacientes são da região. Hoje estamos ajudando cidades da região. Então fica minha gratidão ao governo paulista e o orgulho da cidade que abraçou o lockdown quando ele precisava ser feito. E por isso estamos colhendo resultados”, afirmou.

O boletim epidemiológico desta sexta contabilizou 43 novos casos de COVID-19 na cidade. Portanto, o número total de casos confirmados chega a 16.957.

Atualmente, são 205 pacientes internados. Destes, 117 estão na enfermaria e 88 na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). As taxas de ocupação de leitos de enfermaria e UTI estão em 81% e 91%, respectivamente.

A Santa Casa de Araraquara tem 23 pacientes internados, a Unidade de Retaguarda do Melhado conta com 25 pacientes e 51 estão internados no Hospital de Campanha.

Araraquara tem 100 pacientes internados que moram em outras cidades da região: Americana, Américo Brasiliense, Araras, Borborema, Gavião Peixoto, Ibaté, Ibitinga, Jaboticabal, Jaciara, Jardinópolis, Leme, Macatuba, Maracaí, Motuca, Naviraí, Nova Europa , Parisi, Piracicaba, Pitangueiras, Rincão, Santa Bárbara do Oeste, Santa Ernestina, Santa Lúcia, Santa Rita do Passa Quatro, São Carlos, Tabatinga, São José do Rio Preto, Tabatinga, Taquaritinga, Valentim Gentil e Viradouro.

Há, também, pacientes das cidades de São Gabriel do Oeste (MS), Palmas (TO) e Quirinópolis (GO).

Vacinação

Os idosos com 69 anos ou mais começaram a ser vacinados contra a COVID-19 nesta sexta-feira (26/03). Para receber a primeira dose é preciso comparecer em um dos seis pontos de vacinação espalhados pela cidade. A vacinação também inclui aqueles que precisam receber a segunda dose do imunizante.

É preciso apresentar documento com CPF e comprovante de endereço atualizado no momento da imunização.

Araraquara recebeu 8.120 doses da CoronaVac nessa quarta-feira (24/3)
 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.


transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
  • Em casos graves, as vítimas apresentam:
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
  • Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 
 
* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade