UAI
Publicidade

Estado de Minas RETOMADA

Uberlândia: obras do Anel Viário devem recomeçar em maio, mas há entraves

Trecho para finalização de obra iniciada em 1995 é licitado, mas ainda faltam desapropriações e a reforma de um trecho onde asfalto cedeu, em dezembro de 2021


21/04/2022 16:29 - atualizado 21/04/2022 17:45

Trecho a ser desapropriado fica na Região Sul
Trecho a ser desapropriado fica na Região Sul (foto: Vinícius Lemos/Especial para o EM)

Foi anunciada a retomada das obras do anel viário sul em Uberlândia, com previsão de início já no próximo mês, segundo o governador Romeu Zema (Novo). Contudo há pelo menos dois pontos pendentes na via no entorno da cidade o Triângulo Mineiro, que são desapropriações e uma cratera aberta há quatro meses e que impede o tráfego.


  
De acordo com Zema, foi homologado neste mês a concorrência pública, que vai escolher a empresa para conclusão das obras do anel viário. “Atualmente 70% dos serviços já foram executados, faltam aproximadamente 19 quilômetros para a conclusão total dessa obra, tão importante para o trânsito local e também para o escoamento da produção agrícola da região”, disse o governador.
 
Ele informou ainda que serão disponibilizados R$ 20 milhões para a finalização da obra, por meio do Provias, pacote de obras viárias de Minas, anunciadas neste mês, cujos valores são de R$ 2 bilhões. Não há mais informações sobre a homologação e posterior adjudicação à empresas vencedora.
 
A finalização das obras deve incluir adequação de trecho aos fundos de chácaras da Região Sul da cidade, melhorias na pavimentação e asfalto, e construção de uma ponte sobre o Rio Uberabinha, orçada em R$ 4,5 milhões. A conclusão do trecho oficialmente parado desde 2021 é necessária para a conexão das rodovias BR-050 e MGC's 497 e 455, que dão acesso às cidades de Prata e Campo Florido.
 

Desapropriações

A obra iniciada em 1995 e cuja tentativa de retomada em 2020 também foi falha, mesmo com escolha de uma nova empresa para a continuidade, depende de desapropriações de chácaras na área do Rio Uberabinha, nos fundos do Bairro Shopping Park.

Esse processo depende da Prefeitura de Uberlândia, a qual só pode agir a partir do momento em que houver uma ordem de serviço assinada pelo Estado. Existe um termo de compromisso para que as obras nessas propriedades aconteçam antes da desapropriação em si, mas, oficialmente, não há um processo pronto. Se acontecer qualquer atraso, a obra pode parar novamente.

Cratera


Em fevereiro, o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais, Fernando Marcato, disse que a cratera formada no Anel Viário Sul de Uberlândia, em dezembro de 2021, fazia parte de obras de emergência por prejuízos causados pelas chuvas. No entanto, quatro meses depois, o asfalto ainda não foi refeito no trecho e as obras não foram iniciadas.
 
Em visita à Uberlândia, há dois meses, Marcato afirmou que em até duas semanas as reparações seriam iniciadas. “Tivemos R$ 115 milhões liberados para resolver (ocorrências das chuvas). A gente está fazendo contratações emergenciais e pretendemos atacar muito em breve (a cratera no Anel Viário)”, disse.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade