UAI
Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Suspeitos de matar empresário de Caratinga têm prisão preventiva decretada

O empresário Antônio Eduardo Figueiredo Xavier foi assassinado por dois homens, dentro de sua padaria, em 14 de agosto de 2018, no Bairro Santa Zita


17/03/2022 16:23 - atualizado 17/03/2022 16:31

O empresário Antônio Eduardo
O empresário Antônio Eduardo pode ter sido assassinado a mando de parte de seus credores (foto: Reprodução Redes Sociais)
A Polícia Civil de Minas Gerais, Delegacia Regional de Caratinga, divulgou, nesta quinta-feira (17/3), o cumprimento de mandados de prisão preventiva contra dois homens suspeitos de terem executado a tiros, em 14 de agosto de 2018, o empresário Antônio Eduardo Figueiredo Xavier, à época com 44 anos de idade, dentro de uma padaria, no Bairro Santa Zita.
 
O delegado regional de Polícia Civil, Ivan Sales, disse que o crime é de alta complexidade, fato que determinou a demora para identificar os homens que executaram o empresário.
“Eles são pistoleiros, pessoas que vivem disso, mas nós conseguimos identificar o autor dos disparos e o segundo autor que participou da execução dando fuga e fazendo o planejamento do homicídio”, disse.
 
Os suspeitos, segundo a Polícia Civil, pertencem a uma organização criminosa que atua em crimes de pistolagem e homicídios qualificados, e podem ter executado empresários em Minas, Espírito Santo e Tocantins, cobrando até R$ 300 mil.
 
Esta identificação dos executores faz parte de uma das fases da investigação. O delegado Sávio Moraes, que preside o inquérito para essa investigação, disse que o trabalho ainda vai continuar para elucidar totalmente o caso.

O próximo desafio da polícia é identificar os mandantes da morte do empresário.
 
O investigador da Polícia Civil Pedro Celestino, que participa das investigações, explicou que o empresário assassinado estava endividado com vários credores, possivelmente do ramo cafeeiro.
 
A Polícia Civil está trabalhando com uma linha investigativa que conduz para a possibilidade de alguns credores do empresário terem formado uma espécie de consórcio para contratar os pistoleiros que mataram Antônio Eduardo.
 
Nos meses seguintes ao assassinato do empresário em Caratinga, os dois acusados cometerem outros crimes em Afonso Cláudio (ES) e Paraíso do Tocantins (TO).

O delegado Sávio Moraes revelou os apelidos dos pistoleiros, segundo ele, como forma de chamar a atenção da sociedade regional para a periculosidade dos criminosos e outros crimes que porventura tenham praticado.
 
Alemão, de 32 anos, foi o atirador que fez os dois disparos contra o empresário Antônio Eduardo, e Zezinho, de 38, o responsável por garantir a fuga no crime de Caratinga.

Os dois estão presos em Tocantins. O cumprimento dos mandados de prisão preventiva, expedidos pelo Poder Judiciário de Minas, já foram enviados ao Judiciário de Tocantins.
 
Para identificar os mandantes, policiais da Delegacia Regional de Polícia Civil de Caratinga vão se deslocar até o estado de Tocantins para interrogar Alemão e Zezinho, saber detalhes sobre o crime e sobre a contratação dos dois para assassinar o empresário.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade