UAI
Publicidade

Estado de Minas NOVA UNIVERSIDADE

Com pandemia, ingresso no ensino a distância supera modelo presencial

Censo da educação feito pelo Inep mostrou mudança inédita em 2020, quando mais de 2 milhões de universitários ingressaram na modalidade virtual no Brasil


20/02/2022 04:00 - atualizado 20/02/2022 07:26

aluna assiste a aula pelo computador
(foto: Pixabay)
 

A quantidade de alunos que ingressaram em universidades, faculdades e centro universitários pelas portas da educação a distância (EAD) ultrapassou, pela primeira vez na história, o total de ingressos em cursos da modalidade presencial. É o que revelam os dados do Censo da Educação Superior, divulgados ontem pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC).

 

As informações se referem a 2020, primeiro ano da pandemia e mostram, ainda, que o ensino superior manteve a tendência de crescimento nos números de matriculados, ingressantes e concluintes, a despeito da crise sanitária.

 

Em 2020, mais de 8,6 milhões de matrículas foram registradas pelo Censo, aumento tímido de 0,9% em relação ao ano anterior. O país contava, naquele período, com 2.457 instituições de educação superior, das quais 2.153 (87,6%) são privadas e 304 (12,4%), públicas. Ao todo, 3,7 milhões de estudantes ingressaram em um curso de graduação, sendo 3,2 milhões deles (86%) em instituições privadas.

 

Entre os novos universitários, mais de 2 milhões (53,4%) optaram por cursos a distância e 1,7 milhão (46,6%), pelos presenciais. O fenômeno já havia sido constatado pelo Inep, em 2019, mas apenas na rede privada.

 

Em Minas Gerais, o total de matrículas somou 857.444. O censo contabilizou 339.422 ingressantes, sendo que 182.017 (53,6%) escolheram a modalidade a distância. Os alunos que entraram na graduação pelo modelo presencial totalizaram 157.405.

 

O crescimento do número de ingressantes na EAD é tendência já apontada pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes) desde 2019. Naquele ano, reportagem do Estado de Minas mostrava que a aposta da entidade era de que matrículas em cursos à distância superassem as presenciais dentro de quatro anos.

 

"A tendência foi acelerada pela pandemia. Agora, como educadores, temos a responsabilidade de garantir que a modalidade EAD ofereça a mesma qualidade que os cursos presenciais", afirmou ontem o presidente da Abmes, Celso Niskier. Nos últimos 10 anos, o número de ingressos em cursos presenciais encolheu 13,9%, ao passo que nos cursos a distância aumentou 428,2%.

 

Enquanto a participação dos novos alunos em graduações on-line, em 2010, era de 17,4%, atualmente, é de 53,4%. De acordo com o censo do Inep, o número de vagas ofertadas também cresceu. Foram disponibilizadas 19,6 milhões oportunidades de ingresso. Dessas, 18,7 milhões (95,6%) ocorreram na rede privada. A oferta em cursos a distância aumentou mais de 30% em relação a 2019, chegando a 13,5 milhões de vagas em 2020. O aumento das vagas em cursos presenciais, no mesmo período, foi de 1,3%.

 

O Censo da Educação Superior é feito anualmente. A nova edição foi realizada com atraso por causa do contexto de pandemia. O Inep informou que a data de referência precisou ser flexibilizada para 30 de junho de 2021 porque, entre outros fatores, foi necessário alinhar a pesquisa ao final do ano letivo de 2020, em decorrência das alterações nos calendários acadêmicos das instituições de ensino.

O que diz o censo 2020 sobre o Ensino Superior


BRASIL

 

Instituições - 2.457

- IES privadas -87,6%

- IES públicas - 12,4%

 

Matrículas - 8.680.354

- IES públicas -77,4%

- IES públicas - 22,6%

 

Ingressantes - 3.765.475

- EAD - 2 milhões (53,4%) optaram por cursos a distância

- Presencial - 1,7 milhão (46,6%)

 

MINAS GERAIS

Matrículas -857.444

Ingressantes: 339.422

- EAD - 182.017

- Presencial - 157.405

 

Fonte: Censo da Educação Superior 2020/Inep

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Posso beber após vacinar? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade