UAI
Publicidade

Estado de Minas GASTRONOMIA

Comida mineira pode ser reconhecida como patrimônio cultural

Assim como o queijo do Serro e as Quitandas de Minas Gerais, a cozinha mineira passará por processo de pesquisa que será reconhecida pelo Iepha


03/12/2021 23:26 - atualizado 04/12/2021 07:00

Imagem de queijos fatiados
A ampliação das regiões produtoras do famoso queijo Minas veio em um momento em que o estado trouxe 40 medalhas no campeonato mundial "Mondial du Fromage" realizado na França, em setembro de 2021 (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A press)
O coração de uma casa é a cozinha, de lá saem temperos, sabores, conhecimentos passados por gerações e uma boa prosa no almoço de domingo. Em Minas Gerais, esse lugar de afeto guarda segredos das receitas de família que dão aos mineiros a fama de bons cozinheiros e que agora vão passar por um processo de investigação e registro com intuito de reconhecer o “Inventário da Cozinha Mineira” como patrimônio cultural.
 
Para proteger os sabores da diversificada culinária mineira, a Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult), por meio do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG), e o Instituto Periférico, deram nesta sexta-feira (3/11) o início do projeto investigação. A expectativa é que até o fim de 2022 todo o processo de inventário da herança da culinária mineira seja registrado em um dossiê.
 
Presidente do Iepha, Felipe Pires conta que o órgão já vem fazendo trabalhos de reconhecimento da importância da cultura alimentar no estado.  Mais de 300 casas de farinha de milho e mandioca e os queijos mineiros já possuem trabalhos relevantes de reconhecimento patrimonial. O que será feito com o inventário da cozinha mineira é ampliar o reconhecimento desse saber como patrimônio e bem cultural de Minas Gerais.
 
“É importante transformar a cozinha mineira em patrimônio, aquela comida que a nossa avó faz. Quando eu era pequeno no Norte de Minas Gerais, não entendia o significado de um simples almoço que tinha como ingredientes o arroz com pequi. Depois que saí de casa e desloquei para outra região é que percebi que o fazer desse prato não existe em outros locais do estado”.
 
Assim como o pequi, o frango com ora-pro-nóbis de Sabará, e a carne moída com umbigo de banana, apreciado em distritos de Ouro Preto, são apontados pelo presidente do Iepha como alimentos específicos de determinados lugares e mostram a grandeza do território mineiro, com diversidade de climas, solos, biomas e diversas expressões econômicas e culturais. “Toda essa diversidade será registrada no dossiê, temos históricos de habitação de povos diferentes ao longo do tempo e tudo isso influencia na culinária mineira”.
 
Cada município vai ter oportunidade de participar desse processo de levantamento do cadastro que será aberto no site do Iepha em janeiro de 2022 e assim preencher um formulário e inserir as informações sobre os fazeres culinários da cozinha mineira do dia a dia.
 
Um exemplo prático, apontado pelo presidente do Iepha, sobre a importância do estudo e registro é a validação do queijo do Serro e as Quitandas de Minas Gerais. “Agora queremos estudar mais a fundo o tempero que sai da panela das nossas casa e a partir do registro da cozinha mineira será possível criar políticas públicas e realizar ações até como a captação de recursos pelo ICMS Cultural”.
 
Difusão do estudo
 
A população terá acesso ao estudo realizado, além da entrega do dossiê, o inventário prevê a entrega de publicações que ajudarão a promover a história, a diversidade e os protagonistas dos sabores e dos saberes da comida mineira. Dentre os materiais estão previstos videodocumentários, livretos, filmetes promocionais, um site e um repositório digital na internet, incluindo também ações de capacitação como seminários e oficinas virtuais, para agentes culturais e turísticos, e palestras em escolas públicas.
 
O secretário de estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais, Leônidas Oliveira, afirma que enviará um ofício ao Governo Federal para também pedir que a Cozinha Mineira seja registrada como patrimônio cultural nacional. “Para os mineiros e as mineiras, estar na cozinha é o centro da nossa casa, que é onde recebemos as pessoas, as visitas. É um lugar de afeto, de receber, intangível, mas agora com o inventário será possível entendermos com melhor profundidade os biomas, as regiões, os jeitos de ser e de fazer, os sabores, os saberes, desse imenso país chamado pátria Minas”.
 
Reconhecimento do Queijo Minas artesanal ganha expansão 
 
Para ampliar a importância da produção do queijo mineiro, na solenidade que aconteceu nos jardins do Palácio da Liberdade, também foi realizada a revalidação do queijo do Serro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) dos “Modos de Fazer o Queijo Minas Artesanal”, como Patrimônio Cultural do Brasil, inscrito no Livro dos Saberes do Iphan.
 
Além da Região do Serro, o reconhecimento foi expandido para as regiões do Triângulo, Salitre, Cerrado, Vertentes, Araxá e Canastra. A ampliação das regiões produtoras do famoso queijo minas veio em um momento em que o estado trouxe 40 medalhas no campeonato mundial “Mondial du Fromage” realizado na França, em setembro de 2021. Os anfitriões ficaram em primeiro lugar e um queijo de Minas Gerais conquistou o segundo lugar no pódio do mundo.
 
Quatro deles ficam na Fazenda Bem-Aventurança, sede da Queijaria Ribeiro Fiorentinin, na cidade de Governador Valadares. A produtora rural Izabela Fiorentini conta que a Região do Vale do Rio Doce ainda não entrou no Livro dos Saberes do Iphan. Ela acredita que isso mostra que o estado tem potencial de ampliar ainda mais as regiões de abrangência de reconhecimento do queijo artesanal mineiro.
 
“Produzimos queijo em uma das regiões mais quentes de Minas Gerais e isso tem surpreendido muitas pessoas. Nesse ano, mandamos o nosso queijo para disputar o mundial da França e trouxemos quatro medalhas para Governador Valadares. Nossos queijos se encaixam nas receitas do tradicional queijo artesanal mineiro. Valetina que foi medalha de Ouro na França, agora pretende ser o carro abre alas para o reconhecimento também da nossa região.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade