UAI
Publicidade

Estado de Minas Operação ''K4ixa Postal'

Gaeco prende 8 suspeitos de traficar maconha sintética em presídio viaSedex

Outros três suspeitos estão foragidos; a K4 é uma maconha sintética, fabricada em laboratórios, cerca de 100 vezes mais potente do que a maconha natural


12/11/2021 11:53 - atualizado 12/11/2021 11:58

 Dos 11 mandatos de prisão cumpridos durante a operação, quatro aconteceram dentro da Penitenciária de Uberaba
Dos 11 mandatos de prisão cumpridos durante a operação, quatro aconteceram dentro da Penitenciária de Uberaba (foto: Gaeco/Divulgação)
O Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberaba deflagrou, no início da manhã desta sexta-feira (12/11) a Operação ‘K4ixa Postal’, contra organização criminosa suspeita de tráfico de drogas e falsidade ideológica dentro da Penitenciária Professor Aluizio Ignácio de Oliveira, em Uberaba, no Triângulo Mineiro.

Durante as investigações, iniciadas em março deste ano, foram identificadas dezenas de envios de K4 (maconha sintética) à Penitenciária de Uberaba, através de Sedex.

Segundo o Gaeco, foram cumpridos 11 mandados de prisão em Uberaba, sendo quatro na penitenciária e outros sete em residências; nestes locais quatros suspeitos foram presos e três estão foragidos. Além disso, também foram cumpridos 13 mandados de busca e apreensão em Uberaba e outros dois em Sacramento.

Levantamentos do Gaeco apontaram que o tráfico de K4 havia se intensificado em dezembro de 2020, quando, a partir deste período, os suspeitos aproveitavam que as visitas e entregas de materiais no presídio estavam suspensas devido aos protocolos adotados pela pandemia da COVID-19 e escondiam a droga em kits e dentro de caixas que eram enviados para presos.

Para facilitar o envio, os investigados usavam como remetentes os nomes de parentes e/ou pessoas ligadas aos detentos, sendo que as encomendas destinadas aos detentos passavam por revista, resultando em diversas apreensões.

Ainda conforme o Gaeco, cada K4, que é um pequeno ‘selo’ ou ‘quadradinho’ e eram distribuídos em uma folha A4, chegava a ser comercializado a R$ 30,00.

A ação do Gaeco que foi deflagrada na manhã de hoje contou com participação de promotores de Justiça, servidores do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Polícia Militar (PM) e Polícia Penal, sendo que os mandados de prisão, busca e apreensão foram expedidos pelo juiz da 1ª Vara Criminal da Comarca de Uberaba.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade