UAI
Publicidade

Estado de Minas JORNALISMO

Capa do Estado de Minas viraliza ao mostrar crimes de Bolsonaro segundo CPI

Primeira página do jornal foi compartilhada por políticos, personalidades e leitores nas redes sociais, que elogiaram a ilustração


27/10/2021 19:45 - atualizado 29/10/2021 19:49

Capa do jornal Estado de Minas do dia 27/10/2021, trazendo a imagem de Bolsonaro composta pelos crimes que ele cometeu durante a pandemia
Capa do EM desta quarta-feira (27/10) foi compartilhada nas redes sociais (foto: Editoria de arte/EM )
Quem passou pelas bancas, recebeu em casa ou conferiu nas redes sociais a capa do Estado de Minas desta quarta-feira (27/10) se deparou com o rosto inconfundível do presidente Jair Bolsonaro ocupando a porção principal da página. Mas no lugar de uma foto, a feição do presidente estava formada pelos  nove crimes que ele cometeu na condução da pandemia , segundo a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19, que pediu o seu indiciamento na noite desta terça-feira (26/10). 

Deixando explícita a dimensão da responsabilidade de Bolsonaro diante das mais de 600 mil mortes causadas pelo coronavírus desde março de 2020 no Brasil, a capa viralizou ao longo do dia, sendo intensamente compartilhada por políticos, personalidades, artistas, jornalistas e, claro, leitores, que elogiaram a escolha arrojada e criativa do jornal.

Presidente nacional do Cidadania, o ex-ministro Roberto Freire avaliou que a capa é a que “melhor exprime na primeira página tudo do que de mais importante aconteceu” na conclusão da CPI da Pandemia. A vereadora de Belo Horizonte Iza Lourença (PSOL) também estampou a capa nas suas redes sociais e criticou Bolsonaro. “O chefe da quadrilha genocida!”, publicou. 




O perfil do PDT no Senado – que representa os parlamentares Acir Gurgacz (RO), Cid Gomes (CE) e Weverton Rocha (MA)  – ressaltou, por extenso, os crimes de Bolsonaro. “Crimes contra a humanidade e de responsabilidade, epidemia com resultado morte, infração de medida sanitária, incitação ao crime, emprego irregular de verbas públicas, prevaricação, charlatanismo, falsificação de documento. Estado de Minas estampa Bolsonaro”, escreveu. 


 
Presidente do grupo de análise política e de risco Eurasia, o cientista político norte-americano Ian Bremmer também compartilhou a capa no seu perfil no Twitter. "Capa de um jornal brasileiro listando os crimes cometidos por Bolsonaro durante a pandemia, de acordo com o relatório do Senado", escreveu. 




O site  Mídia Mundo, de análise do trabalho da imprensa , também aplaudiu a capa e destacou o apuro gráfico que o jornal impresso permite. “Uma forma nova, diferente, original de mostrar as acusações contra o Presidente da República. Não chega a ser uma obra prima, mas é – de longe – o jornal que melhor trabalha o dia seguinte entre os impressos do Brasil”, escreveu o consultor Eduardo Tessler. 

O epidemiologista Pedro Hallal, que foi ouvido pela CPI da COVID em junho, também foi um dos que compartilhou a capa, assim como o correspondente do jornal britânico “The Guardian” no Brasil, Tom Phillips.
 

Números 


Nas redes sociais, a capa foi extensamente compartilhada. Até as 19h30 desta sexta-feira (29/10), mais de 48 mil leitores foram alcançados com a imagem no perfil oficial do jornal no Instagram, com cerca de 1.900 curtidas. No Facebook, foram outros 27 mil leitores impactados, enquanto no Twitter, a imagem rodou por centenas de perfis.  

Na publicação do Facebook, leitores aproveitaram para desabafar. "Bolsonaro na cadeia: por respeito aos familiares das vítimas do negacionismo bolsonarista. O Brasil quer Justiça!", escreveu o leitor Doulgas Orben. No Twitter, o leitor Augusto Reis afirmou que o jornal mereceria um prêmio pela criatividade. "Existe no Brasil algum 'Prêmio de melhor e/ou mais criativa capa de jornal'? Se sim, o Estado de Minas vai ganhar a deste ano", publicou.

Histórico de ousadia 


A capa conta com uma ilustração do cartunista Quinho e do editor de arte do jornal, Janey Costa, a partir da concepção da equipe de primeira página do Estado de Minas, composta do diretor de redação Carlos Marcelo, da editora-executiva Renata Neves, do editor Roney Garcia e dos designers Júlio Moreira e Alex Perez. 

As capas criativas e arrojadas se tornaram, nos últimos anos, uma marca registrada do jornal. A ousadia vem sendo reconhecida e recompensada. Em maio, o EM foi o  único jornal brasileiro premiado na 42ª edição do Society for News Design,  com duas capas principais e uma interna, do caderno “Pensar”. 

Em dezembro de 2020, a 22ª edição do  The European Newspaper Award também reconheceu o trabalho gráfico de três capas e duas páginas duplas , sendo, mais uma vez, o único jornal brasileiro presente na premiação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade