UAI
Publicidade

Estado de Minas COVID-19

'Quem não se vacina é um palhaço!', diz idosa que tomou dose de reforço

Trabalhadores da saúde acima de 18 anos e idosos de faixas etárias diversas tomaram a dose de reforço nesta quarta-feira (20/10) em Belo Horizonte


20/10/2021 11:57 - atualizado 20/10/2021 13:33

Idosa segurando o palhaço de brinquedo, que diz representar os brasileiros que não querem se vacinar
Celina Silva Rehfeld, de 73 anos (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
O principal público-alvo da campanha de vacinação contra a COVID-19 em Belo Horizonte nesta quarta-feira (20/10) era formado pelos trabalhadores da saúde acima de 18 anos, que recebem a dose de reforço do imunizante. Entretanto, quem chamou a atenção foi uma idosa, que, em protesto, fez questão de ir se vacinar segurando um palhaço de brinquedo.

Esta senhora é Celina Silva Rehfeld, de 73 anos, que foi ao posto drive-thru montado no Campus da UFMG, acompanhada de sua filha, Izabelle Rehfeld, virologista que trabalha em pesquisas do Instituto Fiocruz, do marido Paulo Guarani Rehfeld, de 80, e do cunhado Braz Cristiano Rehfeld de 79. Os três receberam a dose de reforço.

 
Na foto, Celina Silva Rehfeld, segurando o brinquedo, Paulo Guarani Rehfeld, Braz Cristiano Rehfeld , e ao volante do veículo Izabelle Rehfeld
Idosos tomam dose de reforço (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
Celina explicou o motivo de levar o palhaço para o momento de receber a  vacina: "Para mostrar que o brasileiro continua o eterno palhaço, de bater boca em pizzaria, mas não toma consciência de nada que é necessário. Quem não se vacina é um palhaço", afirma.
 
A idosa contou que tomou todas as doses da vacina e que nem ela, o marido ou o cunhado tiveram algum tipo de reação. 
 
Além disso, Celina fez críticas ao Presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) em relação à forma como o governo lidou no combate ao vírus: "Este ignorante do presidente quer matar os pobres deste país. Fico revoltada em ver que existem brasileiros que tem fanatismo por ele", lamentou.. 

 
Profissionais do SAMU também tomaram a dose de reforço nesta quarta (20/10). O médico do SAMU, Daniel Claus, de 40, contou como se sente em poder completar a imunização: "Essa dose traz uma segurança maior para a gente que trabalha diretamente com pacientes da COVID e também é importante que a população toda se vacine, para melhorar a imunização global e diminuir ainda mais a incidencia do vírus."
 
Daniel está de pé, recebendo a dose de reforço da vacina contra a COVID-19
Médico do SAMU Daniel Claus (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
 
Questionado se os casos do vírus parecem estar diminuindo, o médico foi sincero. "A impressão que temos, como trabalhador da saude, é de que tem diminuido a incidencia dos casos. Alguns ainda não estão sanados, mas há uma queda, aparentemente. A vacinação pode estar contribuindo sim e o seguimento dos protocolos de segurança ajudaram muito também".
  
Já o motorista de ambulância José Aires Raimundo Guerra, de 39, contou que mais uma dose da vacina, significa segurança. "Representa mais segurança para nós, visto que a tendencia é o virus nao diminuir, então temos que proteger. Como temos o descuido de muitos, então temos que redrobrar a proteção."
 
Enfermeira aplicando vacina no braço do motorista de ambulância
Motorista de ambulância José Aires Raimundo guerra (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
 
Sobre ter que se vacinar nos próximos anos, o motorista não vê problemas: "Não acho que será obrigatório a vacina nos próximos anos, mas teremos que tomar para continuar se protegendo do vírus".  
 
De acordo com a PBH, para tomar a dose de reforço é necessário levar o cartão de vacina, CPF e documento oficial com foto. Caso seja trabalhador da saúde, deve levar também um documento oficial que comprove que está em atividade na cidade de Belo Horizonte. 

Chuva caindo no posto de vacinação da UFMG
Vacinação contra a COVID-19 (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
O horário de funcionamento dos locais de vacinação em dias úteis é das 8h às 17h para pontos fixos e extras e das 8h às 16h30 para pontos de drive-thru.
  
Há também pontos de vacinação com horário noturno, que funcionam de segunda a sexta-feira. Confira os horários e endereços:
 
  • UFMG Campus Saúde (Escola de Enfermagem): avenida Professor Alfredo Balena, 190 - Santa Efigênia – Funcionamento das 12h às 20h;
  • Faculdade Pitágoras: rua dos Timbiras, 1.375 - Funcionários – Funcionamento das 8h às 20h;
  • UNA-BH: rua Aimorés, 1.451 - Lourdes – Funcionamento das 8h às 20h

* Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19

 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade