UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Falta de AstraZeneca em Minas será resolvida semana que vem, diz governo

Secretário Estadual de Saúde afirma que Minas receberá 400 mil doses do composto a partir de amanhã, o que deve suprir a falta de 118 mil unidades no estado


14/10/2021 12:21 - atualizado 14/10/2021 14:23

Profissionais da rede de frios de Minas distribuem doses de vacinas contra a COVID-19 no aeroporto da Pampulha
Vacinas da AstraZeneca, em falta em municípios mineiros, devem chegar ao estado na ssemana que vem (18/10) (foto: Fábio Marchetto/Agencia Minas)
O governo de Minas deve receber ao menos 400 mil doses da vacina AstraZeneca a partir desta segunda-feira (18/10), mais do que o suficiente para sanar o déficit total de 118 mil doses do produto registrado em diversas cidades mineiras desde meados de setembro.  A previsão é do Secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Fábio Baccheretti. 

Em coletiva realizada esta manhã (14/10) na Cidade Administrativa, o gestor disse que o governo federal receberá amanhã cerca de 4 milhões de doses do composto. Pela distribuição proporcional estabelecida pelo Plano Nacional de Imunização (PNI), o estado fica com ao menos 10% dessas unidades. A expectativa é de que o carregamento chegue à Rede Frios 24 horas depois. 

"Conversei hoje com o (Secretário Executivo do Ministério da Saúde) Rodrigo Cruz e ele explicou que o governo federal espera receber amanhã 4 milhões de doses Astrazenca, ou seja, cerca de 400 mil para Minas Gerais. Na semana que vem, mais 300 mil. É suficiente para suprir a necessidade que temos de Astrazeneca", afirmou Baccheretti. 

Diversas cidades mineiras, sobretudo na Grande BH, registram falta do imunizante. É o caso de Contagem, Santa Luzia, Itaguara, Capim Branco e Esmeraldas.

Segundo o dirigente, a suspensão parcial da campanha nesses municípios se deve ao fato de que as autoridades utilizaram as unidades destinadas à segunda dose para ampliar o público atendido. 

Remessas paradas

Na ocasião, o secretário aproveitou para fazer um apelo às prefeituras, para que elas busquem as doses de Pfizer paradas nas Unidades Regionais de Saúde (URS). 

O gestor estima que haja entre 1,5 milhão e 2 milhões de unidades paradas, à espera dos municípios. Ele reforçou que todos estão liberados para destinar essas vacinas à aplicação da terceira dose ou à proteção dos adolescentes. Conforme Baccheretti, não há necessidade de reservar uma parte do lote para completar de esquema vacinal dos adultos que já receberam uma dose de Pfizer. 

"Temos vacinas suficientes para reforço de idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde, e para vacinar adolescentes", argumentou. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade