UAI
Publicidade

Estado de Minas 'PARECE QUE NÃO EXISTIMOS'

Moradores de Lagoa Santa esperam há 25 anos asfalto em rua de 75 metros

Requerimentos e abaixo-assinados já foram feitos e entregues aos prefeitos durante esse período; atual gestão prometeu obra, mas ainda não foi iniciada


05/10/2021 17:58 - atualizado 08/10/2021 12:55

rua JK em Lagoa Santa, a única do Bairro Praia Angélica sem asfalto
Moradores já apresentaram diversos requerimentos e abaixo-assinados à prefeitura pedindo a obra (foto: Cristiane Lelis/Arquivo pessoal)
"Meu sentimento é de exclusão pelo fato de ser a única rua do meu bairro que não tem asfalto”. Imagine você morar em um bairro todo asfaltado, mas apenas a sua rua, com 75 metros de extensão, é de terra - e, ainda por cima, aguarda pelo serviço há 25 anos. Pois é exatamente a situação de Lívia Ferreira, moradora da  cidade de Lagoa Santa , cuja frase abre esta reportagem.
 
“Faz uma semana que nós, moradores, fizemos a última tentativa de diálogo com o prefeito e até agora nenhuma resposta sobre a situação da minha rua", afirma a dona de casa, moradora da rua JK, no Bairro Praia Angélica, no município da Região Metropolitana de BH. “Enquanto isso, os meus dois filhos sofrem com problemas respiratórios devido à poeira", complementa.
 
Segundo a residente, são diversos os requerimentos e abaixo-assinados entregues a prefeitos nos últimos 25 anos. Desde 2019, as tentativas se intensificaram - mas ainda em vão.  
 
Outra moradora do bairro, Cristiane Lelis, afirma que uma esperança apareceu em julho de 2020, quando um abaixo-assinado feito pelos residentes foi entregue ao então candidato à reeleição de vice-prefeito, Breno Salomão (Patriota). Ela afirma que Salomão prometeu o início da obra, após assumir o mandato e a pasta da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU).

Uma luz no fim do túnel, como definem os moradores - mas que durou pouco. “Funcionários da Secretaria de Desenvolvimento Urbano estiveram aqui, mediram a rua e foi nos prometido que em três meses a obra ia acontecer. Essa promessa já completou um ano e vejo que a luz foi uma lanterna que se apagou logo após a eleição”, afirma Cristiane Lelis. 
 

R$ 128 milhões?

 
A moradora do bairro conta que o rumo da conversa mudou após uma reunião entre os moradores e o prefeito da cidade, Rogério Avelar (Cidadania), em julho deste ano. “Queríamos saber qual seria a data para a execução do serviço, que, até então, não havia sido feito como o Breno Salomão havia prometido", inicia Cristiane.

"Apresentamos todos os requerimentos para o prefeito ver. Ele viu e nos respondeu que teria que pedir um empréstimo de R$ 128 milhões para o asfaltamento da cidade e que nós da população deveríamos forçar a aprovação dos vereadores”, complementa.
 

'Parece que não existimos'

 
A moradora Joseane Pella conta que na pequena rua moram apenas cinco famílias. “Parece que não existimos, nem os Correios sabem ao certo o nome da rua, já recebi com atrasos várias encomendas e contas, inclusive o IPTU”, desabafa, ao reforçar que ela e os vizinhos lutam há anos para o asfalto e a placa com o nome da rua chegarem. 

“Todos os prefeitos que entram e saem prometem o asfalto dessa rua e o atual prefeito disse, na reunião de julho, que a prioridade é asfaltar ruas onde têm mais moradores. Nos sentimos desprezados e sem saber quando vai chegar a nossa vez”.
 

'Maior programa de pavimentação da cidade' 

 
Em setembro de 2019, a atual gestão municipal anunciou no site da prefeitura "o maior programa de pavimentação e drenagem pluvial da cidade" e afirmou que, após estudos, 40 quilômetros que correspondem a 80 ruas da cidade não estavam asfaltadas. 

Na época, a prefeitura encaminhou à Câmara Municipal de Lagoa Santa o Projeto de Lei 5060, que pedia autorização de financimanto de R$ 15 milhões. O plano era somar essa quantia a R$ 30 milhões enviados pelo Governo de Minas, após acordo judicial entre o Tribunal de Justiça de Minas Gerais e Associação Mineira dos Municípios.

Com os R$ 45 milhões, segundo a prefeitura, as obras seriam iniciadas após o envio dos recursos previstos para 2020. "Mas, infelizmente, como houve a rejeição do Projeto de Lei Nº 5060 pela Câmara Municipal, essas outras 80 ruas de terra que seriam contempladas de imediato não serão pavimentadas neste momento devido a falta de recursos financeiros", afirmou a prefeitura, à época.
 
Em resposta aos questionamentos dos moradores, enviada na sexta-feira (8/10), a prefeitura afirma que a pavimentação da Rua JK e de outras ruas no município que se encontram na mesma situação estão na programação de pavimentação a ser realizada no decorrer  do ano de 2022.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade