UAI
Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil desmonta esquema de 'disque droga' em Sete Lagoas

Os entorpecentes eram fornecidos principalmente a caminhoneiros, nas proximidades do Bairro Eldorado; 10 pessoas foram presas


21/09/2021 20:47 - atualizado 21/09/2021 20:51

A ação resultou na prisão de 10 pessoas, incluindo investigados que estavam com mandado judicial e autuação em flagrante
A ação resultou na prisão de 10 pessoas, incluindo investigados que estavam com mandado judicial e autuação em flagrante (foto: Polícia Civil/Divulgação)
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, na manhã desta terça-feira (21/9), a operação “Doll” em repressão ao tráfico de drogas em Sete Lagoas, região Central do estado. O esquema fornecia os entorpecentes principalmente a caminhoneiros, nas proximidades do Bairro Eldorado.
Segundo a PCMG, após seis meses de investigações, realizada pela Delegacia Antidrogas, foi apurado que existia um grande tráfico de entorpecentes, conhecido pela modalidade ‘disque droga’, em que maconha, cocaína e crack eram vendidos numa espécie de delivery. O grupo era chefiado por três mulheres, de faixa etária entre 35 e 40 anos.
 
De acordo com Fernanda Assis, delegada responsável pela investigação, a principal suspeita de comandar o esquema, no Bairro Santa Luzia, conhecido como Garimpo, seria a responsável pela distribuição e venda. 
 
"As mulheres iam em pontos estratégicos para vender as drogas, como postos de combustíveis. Os clientes, em sua maioria, eram caminhoneiros da região, alguns tinham até o contato delas, ligavam e faziam o pedido dos entorpecentes”, explica a delegada.
 
A ação resultou na prisão de 10 pessoas, incluindo investigados que estavam com mandado judicial e autuação em flagrante.
 
Além das prisões, também foram cumpridos 16 mandados de busca, oportunidade em que as equipes apreenderam expressivo número de aparelhos celulares, material para embalar entorpecentes, documentos e anotações referentes ao tráfico.
 
Os investigados podem responder pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Eles foram encaminhados ao sistema prisional e estão à disposição da Justiça. 
 
Ainda de acordo com a PCMG, nenhum caminhoneiro foi preso, mas alguns já foram identificados e serão ouvidos na segunda fase da operação.
 

“Bonecas” perigosas

Segundo a delegada, as três mulheres presas, que chefiavam o grupo investigado – duas são irmãs –, se chamavam pelo apelido de "bonecas". O nome da operação, "Doll", que significa boneca em inglês, faz alusão ao apelido da principal suspeita, detida hoje.
 
A operação foi realizada por policiais civis do 19º Departamento em Sete Lagoas e da Delegacia Antidrogas, com apoio da equipe do Canil, da Coordenação Aerotática (CAT) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core).
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade