UAI
Publicidade

Estado de Minas INVESTIGAÇÃO

Polícia investiga três hipóteses para morte de estudante da Uemg em festa

Caso ocorreu no último domingo (15/8) no Bairro Progresso, em Frutal; testemunhas já foram ouvidas


17/08/2021 16:16 - atualizado 17/08/2021 17:03

Yasmin Martins Videira, de 20 anos, foi morta com um tiro na nuca
Yasmin Martins Videira, de 20 anos, foi morta com um tiro na nuca (foto: Redes Sociais/Divulgação)
A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) investiga três hipoteses para  a morte da estudante Yasmin Martins Videira, de 20 anos, durante uma briga, nesse domingo (15/8), em uma boate em Frutal, no Triângulo Mineiro . A vítima, que cursava direito na Universidade Estadual de Minas Gerais (Uemg), em Belo Horizonte, foi morta com um tiro no pescoço.

O delegado Murilo Antonini, responsável pelo inquérito, disse que a morte ocorreu após desentendimentos entre o namorado da vítima e um homem que não foi identificado.

''Primeiro, apuramos que houve uma briga em um posto conveniência por motivo fútil. Segundo testemunhas, o desentendimento ocorreu por conta do pagamento de uma comanda. O casal foi embora do local para uma boate. Na porta desse estabelecimento, houve uma segunda briga que resultou no tiro que acertou a jovem'', contou.

Logo depois, um dos suspeitos fugiu em uma motocicleta e o outro em um carro.
 
Equipe do Corpo de Bombeiros chegou a encaminhar a jovem para o Hospital Municipal Frei Gabriel, mas a morte foi constatada por equipe médica momentos depois de a estudante dar entrada no hospital.


A polícia trabalha com três linhas de investigação . ''Trabalhamos com três hipóteses: homicídio doloso, tiro acidental e o feminicídio.''

A primeira linha de investigação, segundo informou o delegado, é de que houve um erro na execução do crime, já que, aparentemente, houve um atrito entre dois homens e, o autor do tiro, pode ter errado a execução e acertado a mulher.

De acordo com ele, a segunda é que teria ocorrido um homicídio culposo após a arma cair no chão e disparar contra a jovem.

"A hipótese de feminicídio é investigada, mas está quase descartado'', acrescentou o delegado.

O corpo foi encaminhado ao Posto Médico-Legal (PML), onde foi submetido ao exame necroscópico. Testemunhas foram ouvidas e as investigações estão em andamento. Até o momento, não houve prisão.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade