Publicidade

Estado de Minas 'JÁ PERDERAM DEMAIS'

Secretária de Divinópolis pede que pais mandem filhos para as escolas

Aulas presenciais serão retomadas na próxima semana; secretária de Educação garante que escolas estão preparadas e destaca importância pedagógica


27/07/2021 19:31 - atualizado 27/07/2021 20:05

Ao todo, 51 das 53 escolas tiveram os protocolos sanitários aprovados(foto: Imagem ilustrativa (28/05/2018): Prefeitura de Divinópolis/Divulgação )
Ao todo, 51 das 53 escolas tiveram os protocolos sanitários aprovados (foto: Imagem ilustrativa (28/05/2018): Prefeitura de Divinópolis/Divulgação )
A Prefeitura de Divinópolis divulgou nesta terça-feira (27/7) a atualização dos protocolos para a volta às aulas presenciais a partir da próxima semana, no dia 4 de agosto. Com 51 das 53 escolas liberadas para o retorno, a gestão da cidade do Centro-Oeste mineiro garante que as unidades estão preparadas e pede para que os pais mandem os filhos.
 
“Deixando claro o seguinte: qualquer estado de convivência é um risco, porque vivemos em um momento de insegurança social por causa da pandemia. Contudo, vamos garantir todos protocolos praticados pela vigilância”, afirma a secretária de Educação de Divinópolis, Andreia Dimas. 
 
O retorno facultativo foi autorizado para todos os 12 mil alunos da rede municipal: desde o ensino infantil até jovens e adultos. Os pais receberam um termo para assinarem se responsabilizando sobre o envio ou não do aluno para as atividades em salas de aula.
 
Entre os protocolos adotados estão:
 
  • revezamento de alunos
  • distanciamento entre alunos
  • lixeiras convencionais substituídas por de pedais
  • disponibilização de papel toalha
  • disponibilização de álcool em gel em todas as salas
  • uso de máscara obrigatório a partir de 5 anos
  • além da máscara no rosto, o aluno deve levar outras duas na mochila
Para conferir todas as normas, basta clicar no arquivo disponibilizado aqui. O município adotará o modelo híbrido – que mescla presencial e remoto. 

Formação pedagógica

A secretária também reforçou a importância do ensino presencial na formação pedagógica dos alunos. “Uma das formas de aprendizagem é o modelo. Uma das comprovações disso é quando você percebe que muitas crianças de dois anos não têm a linguagem desenvolvida. Por quê?", questiona.

"Porque faltou o modelo, a informação. Os meninos já perderam muito. Pedagogicamente é muito importante essa relação com o professor”, esclarece Andreia Dimas.

Ela afirma que, embora a rede privada já tenha retomado as atividades, as escolas municipais não tinham condições até então. Agora, a secertária assegura a estrutura adequada para receber os alunos. “Hoje, com os protocolos aprovados, as famílias precisam reavaliar. Essa é a minha análise, no sentido de que faz muita falta para os alunos e eles já perderam demais”.
 

Capacitação 

 
Enquanto os alunos voltam em agosto, es educadores retornam às atividades presenciais nesta sexta-feira (30/7) para capacitação dos protocolos e a forma adequada para lidar com os estudantes e instrumentos para garantir mais segurança. O treinamento se estende nos dias 2 e 3 de agosto.

Até lá, a Secretaria de Educação espera aprovar os dois protocolos ainda pendentes. Um deles é o da Escola Odilon Santiago, do Bairro Casa Nova. O prédio está em reforma desde o ano passado e a projeção é de ser concluída ainda nesta semana.

O outro é o do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei), no Bairro Santa Lúcia. A Vigilância reprovou o protocolo devido a deficiências na estrutura. O prédio alugado não comporta, com distanciamento e medidas de segurança, as 120 crianças. 

“Tivemos que remanejar as crianças maiores, de 4 e 5 anos, para as escolas mais próximas das suas casas para garantir que elas tenham direito ao retorno. E lá vai atender somente três anos”, explicou a secretária da pasta.

A alternativa encontrada pela prefeitura, que prevê a permanência de 45 alunos no Cmei, ainda precisa de aprovação.
 

Rede estadual 

 
Na rede estadual, os 19.862 mil estudantes matriculados nas 32 escolas da cidade começam a retornar às salas de aula a partir de terça-feira (3/8). Inicialmente haverá a retomada dos alunos do anos iniciais do ensino fundamental (1º ao 5º ano), 3º ano do ensino médio e do 9º ano do ensino fundamental.

O avanço para outros níveis de ensino será avaliado após um período mínimo de 14 dias de retorno, em consonância com o Plano Minas Consciente e as determinações da administração municipal. 

O estado também adotará o ensino híbrido. Nele há alternância de uma semana de atividades presenciais na escola e uma semana remota. A escola poderá organizar rodízios, conforme a necessidade, respeitando sempre o distanciamento mínimo entre os estudantes na sala de aula. 

A participação dos estudantes nas atividades presenciais é facultativa às famílias. “Sendo assim, nos casos em que os pais ou responsáveis optarem por não liberar o aluno ao ensino presencial, será mantido o regime totalmente remoto para garantir a continuidade dos estudos”, informou a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais.

*Amanda Quintiliano especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade