Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Transmissão do coronavírus sofre sétima alta consecutiva em BH nesta sexta

Fator RT está em 1,04. Ocupação dos leitos de UTI para COVID-19 também tem alta, enquanto situação das enfermarias melhora


16/07/2021 19:25 - atualizado 16/07/2021 19:52

BH volta a ter alta nos indicadores da COVID-19(foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
BH volta a ter alta nos indicadores da COVID-19 (foto: Túlio Santos/EM/D.A Press)
 

 

A taxa de transmissão do novo coronavírus registrou a sétima alta consecutiva em Belo Horizonte nesta sexta-feira (16/7). O índice saiu de 1,03 para 1,04, dentro da zona de alerta da escala de risco, conforme o boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura.

No cenário atual, 104 pessoas são vítimas da pandemia na capital a cada 100 casos confirmados, em média. Desde 28 de junho, a estatística não apresenta queda, revezando entre dias de alta e de estabilidade.

O RT atual é o mais alto na cidade desde 28 de maio, quando o boletim epidemiológico informou o dado de 1,07.

Outro indicador fundamental, a ocupação dos leitos de UTI para pacientes com COVID-19 também cresceu: de 62,4% para 66,8%. Portanto, também dentro do patamar intermediário, entre 50 e 70 pontos porcentuais.

Já a situação das camas de enfermaria melhorou: de 54,1% para 53%. Ainda assim, a estatística permanece no nível intermediário pelo quarto balanço em sequência.

Casos e mortes


Depois de computar 12 mortes nessa quinta (15/7) – o menor salto desde 24 de março –, BH registrou mais 34 vidas perdidas para a COVID-19 nesta sexta. Agora, a cidade soma 6.047 óbitos.

O número de casos aumentou em 934. A capital soma 249.905 diagnósticos confirmados: 238.785 recuperados e 5.073 em acompanhamento, além daqueles que não resistiram.

Nesta semana, BH registrou a primeira morte de um bebê com a COVID-19. A prefeitura, no entanto, não detalha o sexo da criança nem em qual regional da cidade ela vivia. Também não há informações se o(a) paciente tinha algum fator de risco.

Vacinação


Belo Horizonte chegou à marca de 1.291.543 vacinados contra a COVID-19 com a primeira dose. Outras 488.671 pessoas receberam a segunda.

 

Portanto, a capital mineira vacinou 56,2% do seu público-alvo com a primeira injeção. Por outro lado, 21,7% desse mesmo contingente completou o esquema vacinal.

Em relação ao boletim anterior, a prefeitura contabilizou mais 23.622 aplicações de vacinas em BH: 5.820 de primeira etapa e 17.802 de segunda.

 

Neste sábado (17/7), idosos de 60 anos recebem a segunda dose. A PBH também anunciou a progressão da primeira dose para aqueles com 40.

 

Segundo números da prefeitura, 70.146 profissionais da educação tomaram a primeira dose do imunizante. Na mesma toada, 10.554 gestantes e puérperas receberam a injeção inicial.

Além deles, 199.132 trabalhadores da saúde, 18.763 servidores da segurança pública, 466.496 idosos acima de 60 anos e 206.737 pessoas do grupo de risco, deficientes e beneficiários do BPC receberam a injeção.

A população entre 42 e 59 representa 283.947 dos vacinados. Outros grupos, como os garis e os motoristas de ônibus, receberam 35.768 injeções de primeira dose.

A cidade recebeu 2.212.687 vacinas até aqui. A PBH não informa mais quantas doses recebeu de cada fórmula.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade